Adeus Poupança! NUBANK está ajudando brasileiros a ganharem mais dinheiro

O Nubank é o principal banco digital do país e segue surpreendendo a todos. O destaque mais recente do banco digital foi quando ele superou as projeções de analistas e registrou um lucro líquido de US$142 milhões no primeiro trimestre do ano. E o banco vem ajudando os brasileiros a ganhar mais dinheiro.

Adeus Poupança! NUBANK está ajudando brasileiros a ganharem mais dinheiro
Adeus Poupança! NUBANK está ajudando brasileiros a ganharem mais dinheiro (Imagem FDR)

Atualmente, o Nubank possui como clientes 46% dos adultos no país e conseguiu mais que dobrar sua base para 80 milhões de pessoas no Brasil, México e Colômbia.

Nubank segue surpreendendo

Para David Vélez, CEO do Nubank, é totalmente previsível que o banco ultrapasse os concorrentes.

“Pensamos que isso aconteceria mais rápido em mercados emergentes do que em economias desenvolvidas como os EUA ou a Europa, porque a dor do consumidor que você está abordando nos mercados emergentes é muito, muito maior”, afirmou ele à Forbes.

Quando o Nubank foi lançado, em 2013, apenas cinco bancos dominavam o mercado brasileiro, conquistando lucro através da cobrança de taxas de juros anuais altíssimas. David, além de escolher muito bem o público-alvo que desejava atingir, conseguiu ainda adaptar a estratégia para atender às oportunidades e problemas no Brasil.

Estratégia arriscada

Grande parte dos bancos digitais dos Estados Unidos começou com uma conta corrente e cartão de débito. No entanto, o Nubank lançou com um cartão de crédito sem tarifas, já que não precisava de uma licença bancária para emitir um cartão e também porque quase todos os emissores de cartões do país cobravam tarifas.

Apesar disso, essa estratégia era perigosa, pois de acordo com a cofundadora e diretora de crescimento do banco, Cristina Junqueira, as perdas com cartão de crédito “podem realmente matar sua empresa”, afirmou ela de acordo com a Forbes.

A pergunta que fica é se o Nubank conseguirá obter o mesmo êxito nos mercados mexicano e colombiano como conquistou no Brasil e se continuará crescendo e se ficando ainda mais lucrativo no Brasil.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.