Governo aprova AUXÍLIO estudantil para os estudantes garantindo renda mensal

Para alguns adolescentes e jovens não basta conseguir uma boa nota na escola para concluir mais uma etapa, mas é preciso combinar uma série de responsabilidades. Os que precisam trabalhar enquanto estudam sentem ainda mais pressão, por isso é comum o abono escolar. Buscando resolver esse cenário, um tipo de auxílio estudantil tem sido liberado para esse público.

Governo aprova AUXÍLIO estudantil para os estudantes garantindo renda mensal
Governo aprova AUXÍLIO estudantil para os estudantes garantindo renda mensal (Imagem: FDR)

Segundo um recente levantamento feito pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), dos 52 milhões de jovens na faixa de 14 a 29 anos de idade do país, 18,3% não conseguiram completar o ensino médioOs motivos envolvem o abandono da escola antes do término do ciclo, e o não comparecimento em nenhuma série, ou seja, nunca foram à escola. Situação que o auxílio estudantil tenta resolver.

O programa social chamado de Bom Aluno é uma iniciativa de uma instituição privada que recebe doações para o seu funcionamento. Atualmente, o sistema funciona em pelo menos cinco cidades:

  • Curitiba (PR) – no Instituto Bom Aluno do Brasil;
  • Londrina (PR) – no Instituto Bom Aluno de Londrina;
  • Belo Horizonte (MG) – no Instituto Severino Ballesteros;
  • Salvador (BA) – no Instituto Bom Aluno da Bahia;
  • Vitória (ES) – no Instituto Ponte.

Por meio desse projeto os alunos recebem um auxílio estudantil para que consigam completar principalmente as últimas três séries que garantem o Ensino Médio. Para isso recebem capacitação profissional a fim de que ao concluírem o ensino básico possam prosperar no mercado de trabalho.

O que é oferecido no auxílio estudantil?

Vale salientar que o auxílio estudantil não é um pagamento de transferência de renda, ou seja, não é recebido nenhum valor financeiro. O que a instituição garante ao aluno são incentivos para que ele consiga concluir as fases finais do Ensino Fundamental, a partir do 7º ano, e do Ensino Médio.

Para isso, os institutos garantem para os beneficiados pelo programa Bom Aluno:

  • Assistências em disciplinas escolares;
  • Cursos de inglês e uma segunda língua estrangeira;
  • Aulas de redação e oratória;
  • Desenvolvimento de habilidades sócio-emocionais e acadêmicas;
  • Acompanhamento psicológico e pedagógico;
  • Orientação profissional para a escolha do curso superior;
  • Uniforme;
  • Material escolar;
  • Livros;
  • Auxílio-transporte;
  • Vale-refeição.

A presença dos pais e responsáveis é muito importante para o instituto, por isso eles também participam de cursos e palestras a fim de melhorar o desempenho acadêmico do adolescente. O auxílio estudantil acompanha o cidadão pelo período máximo de 11 anos, sendo que a permanência no programa depende do bom desenvolvimento acadêmico.

Quem pode se inscrever no auxílio estudantil?

As inscrições no auxílio estudantil do Bom Aluno terminam em junho, durante esse período são feitas campanhas nas escolas públicas para que os interessados possam se inscrever. Para isso é necessário cumprir com os requisitos que dão acesso aos benefícios do projeto.

O perfil do candidato deve responder aos requisitos como ser:

  • Alunos de escola pública;
  • Cursando 6º ano do ensino fundamental;
  • Disciplinado e dotado de iniciativa;
  • Média bimestral ou trimestral mínima de 7,0 em todas as matérias, em todos os anos;
  • Pelo menos 90% de frequência escolar;
  • Família de baixa renda (com rendimento de no máximo 1/3 do salário mínimo por pessoa da família);
  • Residir na cidade onde o Bom Aluno está situado ou em cidades circunvizinhas.

Inscrições no Bom Aluno

Para receber o auxílio estudantil, os interessados precisam fazer as inscrições no Bom Aluno e passar por outras cinco etapas. Não há nenhuma cobrança pelo envio da candidatura, e as fichas são analisadas para o preenchimento das vagas. Em seguida, o candidato passa por:

  • 2ª fase: avaliação de conhecimentos, envolvendo conteúdos de Língua Portuguesa, Redação e Matemática;
  • 3ª fase: dinâmicas em grupo que buscam avaliar se algumas características ou atitudes desejáveis aos Bons Alunos estão presentes ou não;
  • 4ª fase: entrevista em que devem estar presentes os pais ou responsáveis pelo candidato;
  • 5ª fase: visita domiciliar;
  • 6ª fase: Os alunos que finalizarem as cinco fases de avaliação serão novamente analisados mediante o número de vagas disponíveis no PBA, sendo escolhidos, dentre os candidatos, aqueles que melhor atendam aos requisitos.

Para participar da primeira fase que consiste na inscrição online, basta acessar esse link e preencher o formulário.

 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) desde 2018. Já atuou em jornal impresso. Trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional. Especialista na produção de matérias sobre direitos e benefícios sociais. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com