Deltan recebe Pix de ‘agentes de Deus’; confira quem são

Nesta terça, 13, Deltan Dallagnol, deputado que teve o mandato cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) recentemente, afirmou que recebeu valores através do PIX enviados por “agentes de Deus”. Entenda.

Deltan recebe Pix de 'agentes de Deus'; confira quem são
Deltan recebe Pix de ‘agentes de Deus’; confira quem são (Imagem FDR)

Os valores foram enviados pelo PIX por seus apoiadores para ajudá-lo a pagar sua dívida de R$2,8 milhões decorrente de gastos com passagens e diárias ao longo do período em que atuou como procurador da Operação Lava Jato. 

Ex-deputado recebe PIX de agentes de Deus”

Em uma transmissão ao vivo que realizou em suas redes sociais, Deltan lembrou da primeira vaquinha que promoveu e que resultou em um montante de R$500 mil em apenas três dias. Nesta época ele tinha sido condenado a pagar uma multa de R$ 75 mil ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva , por danos morais.

“Agora eu vejo mais um presente de Deus e de vocês acontecendo. Olha a quantidade de Pix na minha desde a última sexta-feira. Centenas e centenas de pessoas começaram a fazer pix para a minha conta mais uma vez expressando solidariedade, protegendo a minha família do mal que querem nos causar e mostrado que eu não estou sozinho, que vocês estão comigo nessa luta por justiça do nosso país. Eu agradeço a Deus e cada um de vocês que têm sido agentes de Deus na minha vida”, afirmou ele em vídeo.

No ano passado, Dallagnol foi condenado a pagar uma indenização ao presidente Lula depois do caso da apresentação de slides sobre a Lava Jato. Foi pedido pela defesa de Lula que o ex-deputado  pagasse R$ 1 milhão pela entrevista que deu em 2016.

No julgamento, porém, o colegiado fixou que a multa a ser paga deveria ser de R$ 75 mil, com correção monetária e juros. Desta forma, a equipe jurídica de Dallagnol recorreu no STF sobre a decisão.

Em nova condenação, Deltan foi obrigado a devolver aos cofres públicos as diárias e passagens utilizadas para integrantes da Operação Lava Jato. De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), com estas despesas, os procuradores “praticamente dobraram” a remuneração com um modelo que deveria ser temporário e “eventual”, segundo a lei, mas permaneceu durante anos.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.