Messi deve trazer grandes IMPACTOS para a economia de Miami

Lionel Messi, eleito sete vezes o Melhor Jogador do Mundo pela FIFA e recordista do prêmio Bola de Ouro, aceitou a oferta feita pelo Inter Miami, clube de futebol que possui David Beckham como coproprietário. E além de ser uma notícia de grande impacto para o futebol norte-americano, a cidade de Miami também deve ter grandes impactos.

Messi deve trazer grandes IMPACTOS para a economia de Miami
Messi deve trazer grandes IMPACTOS para a economia de Miami (Imagem: FDR)

Messi em Miami

O setor imobiliário de Miami teve bom faturamento no ano passado e os números tendem a permanecer positivos este ano. De acordo com levantamento feito pela Associação de Corretores de Imóveis de Miami, aqueles que comercializaram imóveis no ano passado tiveram lucro. Em média, dependendo da região, durante 2022, os apartamentos chegaram a US$ 415.000 em maio e as casas ficaram em US$ 579.000 no mês junho.

Um dos grandes motivos é o fato de muitos compradores de imóveis buscarem na Flórida, sobretudo em Miami, não apenas um local para residir, mas também lugares para passarem o período de férias ou alugarem durante a alta temporada.

Além disso, a chegada em massa de residentes de outras partes dos Estados Unidos para a ensolarada Miami trouxe muitos empresários e investidores em busca de imóveis para morar e trabalhar.

O atual estádio do Inter Miami, novo time de Messi, está localizado em Fort Lauderdale, portanto, acredita-se que o atleta possa procurar uma caso no condado de Broward, como Weston ou Southwest Ranches.

E além do futebol local, a cidade de Miami será uma das sedes da Copa do Mundo de 2026. A cidade também tem sido referências em eventos esportivos, como Super Bowl, jogos universitários, o GP de Fórmula 1.

Daniel Ickowicz, diretor de vendas da Elite International Realty, consultoria imobiliária que atua há mais de 30 anos nos Estados Unidos, acredita que Messi jogar em Miami trará movimento à economia da região. “Não dá para mensurar totalmente o que a vinda desse jogador para o Inter Miami transformará. Acredito que possa ser até muito maior do que a gente imagina. Não apenas para Miami, mas também para toda a região. O país vai sediar a Copa América em 2024 e a os arredores de Miami deve ser incluído. Em 2026 Miami será sede da Copa do Mundo. O impacto no esporte é enorme e eventualmente começa a movimentar outras áreas do país da cidade. Vale uma comparação com o Cosmos, quando em 1975 contratou o Pelé para jogar nos EUA. Só que na década de 70 o país não estava preparado para receber um jogador de futebol dessa magnitude. Sinto que hoje Miami e toda a região está preparada para vinda de Messi”, explica Ickowicz.

Messi vai se juntar a um “time” de celebridades de várias áreas possuem casas em Miami: Shakira, Gisele Bündchen, Ricky Martin, Julio Iglesias, Silvester Stallone e tantos outros. Seja para diversão ou negócios, Miami tem sido escolhida como destino por muitas pessoas.

O ‘boom’ do futebol em Miami

De acordo com analistas da Bernstein Research, a ida de Messi para o time e Miami pode render bilhões de dólares em capitalização de mercado adicional para a Adidas, que patrocina o atleta e o time.

Segundo a BBC, Messi vai assinar por duas temporadas e receber um salário anual de 60 milhões de euros, que dá cerca de R$ 315 milhões. O valor dos bilhetes para a estreia da equipe na Copa das Ligas, competição entre clubes dos Estados Unidos e México, no dia 21 de julho, sofreu um aumento de 2.000%. O preço do ingresso para este jogo subiu de US$ 24 (R$ 117) para US$ 521 (R$ 2.558).

Victor Barboza
Meu nome é Victor Lavagnini Barboza, sou especialista em finanças e editor-chefe do FDR, responsável pelas áreas de finanças, investimentos, carreiras e negócios. Sou graduado em Gestão Financeira pela Estácio e possuo especializações em Gestão de Negócios pela USP/ESALQ, Investimentos pela UNIBTA e Ciências Comportamentais pela Unisinos. Atuo no mundo financeiro desde 2012, com passagens em empresas como Motriz, Tendere, Strategy Manager e Campinas Tech. Também possuo trabalho acadêmicos nas áreas de gestão e finanças pela Unicamp e pela USP. Ministro aulas, cursos e palestras e já produzi conteúdos para diversos canais, nas temáticas de finanças pessoais, investimentos, educação financeira, fintechs, negócios, empreendedorismo, psicologia econômica e franquias. Sou fundador da GFCriativa e co-fundador da Fincatch.