Segurança em risco: Saiba como melhorar suas senhas e ficar mais protegido

A escolha de uma senha forte é o primeiro passo para proteger informações pessoais e financeiras. Práticas como compartilhar, anotar no bloco de notas ou usar a mesma senha em vários locais acabam facilitando a vida de golpistas. Dito isso, confira dicas importantes para criar senhas mais seguras e se proteger.

Segurança em risco: Saiba como melhorar suas senhas e ficar mais protegido
Segurança em risco: Saiba como melhorar suas senhas e ficar mais protegido (Imagem FDR)

Segundo pesquisa C6 Bank/Ipec, que ouviu 2 mil internautas no ano passado, 33% dos entrevistados disseram que preferiam usar códigos fáceis de decorar, mesmo sabendo que eles não são seguros, como, por exemplo, a própria palavra “senha”.

Cuidado com suas senhas

“Senhas devem ser confidenciais e secretas e cuidar delas é uma forma de proteger a privacidade, além de evitar prejuízos financeiros e pessoais”, explica José Luiz Santana, head de cibersegurança do C6 Bank.

Nesta semana em que se comemora o Dia Mundial da Senha, o especialista separou seis dicas para aumentar a segurança dessa combinação.

Dicas para melhorar suas senhas

Evite senhas fracas

Entre as senhas mais utilizadas no mundo, estão a própria palavra senha e sequências numéricas como 12345678, 123123, 111111. Combinações como essas devem ser evitadas, porque são facilmente descobertas pelos golpistas.

Evite utilizar dados pessoais como senha

Não use informações pessoais, como data de nascimento, o próprio nome ou do seu pet como senhas. No caso de roubo, perda ou furto, criminosos podem identificar com facilidade essas informações no smartphone ou documentos na carteira da vítima.

Crie senhas fortes

Senhas consideradas fortes costumam combinar letras maiúsculas, minúsculas, números não sequenciais e caracteres especiais.

Não repita a mesma senha em diferentes contas

Utilizar a mesma senha em contas diferentes pode ser muito perigoso. Se um hacker descobre a senha de um portal, ele poderá ter livre acesso a diversas outras contas e credenciais se você repetir as suas senhas.

Use a autenticação em duas etapas

Para garantir uma proteção adicional, a melhor opção é não ficar dependente apenas das senhas. Nos aplicativos que permitem a autenticação em duas etapas, ou seja, quando além de digitar a senha você precisa confirmar por outro meio sua identidade (celular previamente cadastrado, e-mail, etc), escolha essa opção para dificultar o acesso de terceiros aos seus dados.

Utilize um gerenciador de senhas

Existem gerenciadores de senha que ajudam as pessoas a se lembrar das combinações usadas para cada aplicativo. Esse recurso é mais prático e seguro, uma vez que exige a memorização de uma única senha de acesso que, por sua vez, pode ser mais complexa.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.