INDENIZAÇÃO! Beneficiários do INSS ganham direito a renda extra por CANCELAMENTO do benefício

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é responsável pelo pagamento de alguns benefícios cedidos pelo governo federal. Entretanto, os beneficiários do órgão tiveram um choque ao saber o relato de um caso que garantiu uma renda extra devido ao cancelamento de um benefício do INSS. Confira o caso agora.

Aposentadoria sofre MUDANÇAS afetando o tempo de trabalho dos brasileiros
INDENIZAÇÃO! Beneficiários do INSS ganham direito a renda extra por CANCELAMENTO do benefício (Imagem: FDR)

O INSS se envolveu em mais uma polêmica envolvendo os seus beneficiários. Desta vez, o caso ocorreu em Itapoá, no estado de Santa Catarina. Um beneficiário do programa Benefício de Prestação Continuada (BPC) teve o seu auxílio vetado pelo órgão, que foi penalizado pela justiça nesta terça-feira, 25.

O jovem de 15 anos foi contemplado pelo INSS com um pagamento de R$7 mil, referente à derrota sofrida pelo órgão, onde foi condenado a pagar o valor por danos morais. O órgão interrompeu, sem um aviso prévio, o recebimento do benefício para o cidadão, que ficou surpreso e à mercê de ajuda.

Em peça, o Instituto alegou que a vítima não realizou uma atualização em seu cadastro, resultando na suspensão do pagamento. Apesar da alegação, a justiça do estado de Santa Catarina não viu desta forma, afirmando que o garoto não teve direito pleno à defesa administrativa.

Em processo, o juiz da 1ª Vara Federal de Jaraguá do Sul, Sérgio Eduardo Cardoso, afirmou:

“Não se está negando vigência às normas que exigem o recadastramento, mas tão somente a sentença mencionada analisou a irregularidade formal do procedimento (da suspensão do benefício).”

Já após a realização da sessão, o juiz foi questionado sobre o valor decidido para ser pago e o magistrado comentou:

“Reconheço que houve concorrência da parte autora em não atualizar os cadastros (embora imprescindível a intimação por AR na cessação do benefício) e que o valor de R$ 7 mil é “suficiente para aplacar o possível constrangimento que impingiu a suspensão do benefício”,

O que disse a defesa do INSS?

A defesa do Instituto alegou que “o INSS não deveria, em 2022, ser condenado por cumprir a lei” e acrescentou:

“Esperar que as pessoas cumpram com o seu dever, informem alteração de renda, de perfil familiar, quando isso pode lhe implicar perder o benefício, é inimaginável em nossa sociedade, que nos dá todo dia provas de que a má-fé não deve ser presumida, mas deve ser ponderada.”

Flávio Costa
Estudante de jornalismo, já atuou na área de assessoria política ao compor o time de comunicação da atual governadora do estado, durante sua campanha eleitoral. Anteriormente, cursou 2 anos no curso de relações internacionais, podendo ampliar sua visão no aspecto macro e micro do cenário nacional e internacional. Fluente em inglês, já atuou como professor de idiomas e também de matemática. Por fim, trabalhou ainda como analista de operações pelo grupo Amazon. Atualmente, dedica-se a universidade e ao portal FDR. Suas redes sociais são @flavioarcosta e [email protected].