Cartão de crédito sem juros? Nova medida do Governo pode reduzir suas dívidas

O rotativo do cartão de crédito é um das linhas mais caras do mercado e traz problemas para diversos consumidores. Recentemente, o ministro da Fazenda Fernando Haddad, falou exatamente sobre a questão do rotativo. Saiba os detalhes.

Cartão de crédito sem juros? Nova medida do Governo pode reduzir suas dívidas (FDR)
Cartão de crédito sem juros? Nova medida do Governo pode reduzir suas dívidas (FDR)

Haddad afirmou para jornalistas que o governo possui um grupo de estudos que trata da questão do rotativo do cartão de crédito. “Não tem explicação nem Brasil nem no exterior. Independentemente da taxa Selic, do Banco Central, estar alta, os juros do rotativo não estão altos. Estão estratosféricos“, afirmou ele, segundo O Antagonista. 

“No caso do cartão de crédito, sobretudo do juro rotativo, é uma exorbitância que precisa ser corrigida”, complementou.

O ministro disse ainda que neste mês o governo vai lançar “mais ou menos 12 medidas“ na área de crédito.

“Isso vai desde aval para PPPs, que são grandes investimentos em infraestrutura, passando por debêntures que não pagam imposto de renda e até garantias que são dadas no sistema de crédito para baixar o chamado spread, que é quanto o juro cobrado a mais do que ele paga de captação”, disse.

Projeto de Lei pode mudar o rotativo do cartão 

O Projeto de Lei 2685/2022, de autoria do deputado Elmar Nascimento, líder do União Brasil na Câmara, tem o objetivo de criar um teto para os juros cobrados pelos bancos no crédito rotativo do cartão.

De acordo com o projeto, o teto máximo seria de 8% ao mês, o que causaria uma perda significativa em comparação aos juros praticados pelos bancos atualmente.

Este projeto foi apresentado no fim do ano passado e se encontra na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados. Como o PL foi apresentado em caráter terminativo, ele não precisa passar pelo plenário. Casos seja aceito em duas comissões – a CFT e a Comissão de Constituição e Justiça – ele vai direto para o Senado.

De acordo com o analista Henrique Navarro, a inserção do crédito rotativo nos empréstimos dos cartões de crédito “deve aumentar ao longo de 2023, impulsionado pelo crescimento da carteira de crédito e por um cenário macroeconômico mais desafiador”, disse ele ao Brazil Journal.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.