Aposentados do INSS serão impactados por importante mudança a partir desta sexta-feira

Pensionistas e aposentados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) estão atualmente sem a oportunidade de contratar empréstimo consignado. Nessa modalidade de crédito é possível emprestar dinheiro com um juros mais baixo, comparado aos demais, e pagando as parcelas com desconto do salário. Na sexta-feira (24) uma reunião vai determinar o futuro desse produto.

Aposentados do INSS serão impactados por importante mudança a partir desta sexta-feira
Aposentados do INSS serão impactados por importante mudança a partir desta sexta-feira (Imagem: FDR)

O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Sidney Oliveira, informou que a definição para uma nova taxa de juros do empréstimo consignado para aposentados do INSS será dada na sexta-feira (24). Membros do CNPS (Conselho Nacional da Previdência Social) se reunirão, dessa vez contando com a participação dos bancos, a fim de chegar a uma solução.

Tudo porque, no dia 13 de março o CNPS já havia se reunido e decidido diminuir o teto de juros para o crédito consignado oferecido para o INSS. A taxa que inicialmente era de 2,14% ao mês caiu para 1,70% ao mês. Os bancos, porém, não concordaram com a medida e decidiram não oferecer mais esse produto para aposentados e pensionistas.

A situação acabou formando um clima de mal estar entre membros do governo, já que a sugestão para diminuir os juros foi do ministro da Previdência, Carlos Lupi. Diante disso, membros da equipe da Fazenda do governo federal, e o ministro da Casa Civil, Rui Costa, se organizaram para uma nova reunião essa semana. A ideia é devolver o consignado para aposentados do INSS.

Nova taxa de juros do consignado para aposentados do INSS

Depois de se reunir com o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Gabriel Galípolo, o presidente da Febraban, Sidney Oliveira, disse que a taxa de juros de 1,70% para consignado aos aposentados do INSS era totalmente inviável.

O patamar fixado pelo Conselho [Nacional de Previdência Social] de 1,7% [ao mês] não atende a estrutura de custo dos bancos. Tanto não atende que os bancos públicos também interromperam a concessão de consignado, ou seja, Banco do Brasil e Caixa interromperam porque não consegue suportar com a taxa de 1,70%”, disse.

A nova taxa de juros vai ser anunciada na sexta-feira (24), mas ao que tudo indica e conforme foi apurado pela imprensa, deve-se chegar a um meio termo. Um índice que fique entre 1,9% a 2% ao mês. 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com