Novo Ensino Médio em risco? Especialistas pedem a revogação

Lei aprovada em 2017 implantou o Novo Ensino Médio para as escolas públicas e particulares de todo o país. Esse é o segundo ano de implantação e o MEC abriu recentemente uma consulta pública sobre o assunto. Entenda o porquê de especialistas pedirem a revogação da lei.

Novo Ensino Médio em risco? Especialistas pedem a revogação
Novo Ensino Médio em risco? Especialistas pedem a revogação (Imagem: FDR)

Na última quinta-feira, 9, o Ministério da Educação publicou no  Diário Oficial da União uma portaria que abre uma consulta pública sobre o Novo Ensino Médio. A ideia é avaliar e reestruturar a política nacional sobre o assunto. Acontece que, para especialistas e pesquisadores é necessário revogar a lei aprovada em 2017 que implementa as atuais mudanças.

Novo Ensino Médio revogado?

Para essas entidades o ideal seria a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio.

“E, ao ser revogado, é necessário que o governo receba estudantes, professores e profissionais da educação pra poder formular e concretizar um modelo de ensino que faça sentido pra nossa geração”, disse à Agência Brasil a presidenta da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Jade Beatriz.

Um ponto importante quanto a consulta pública é o apertado cronograma que inviabiliza o diálogo com quem efetivamente está vivendo essa transição, os estudantes e professores.

“O que a reforma tem gerado de desorganização das redes, de desestruturação curricular e de baixíssima formação dos estudantes é algo que precisa ser, de fato, denunciado”, afirma o professor e pesquisador da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), Daniel Cara.

A consulta deve contar com audiências públicas, oficinas de trabalho, seminários e pesquisas nacionais; todos esses eventos devem contar com a participação de estudantes, professores e gestores escolares dos 26 estados e do Distrito Federal.

Pronunciamento do MEC

Ao ser questionado sobre a consulta pública e os questionamentos quanto a implantação do Novo Ensino Médio, o MEC divulgou uma declaração pública do ministro da Educação, Camilo Santana; confira:

“Já identificamos que há necessidade de correções, necessidade de um bom debate. Porém, acho que é do processo democrático, até porque o ensino médio já está em andamento na sua implementação, [acho que] é importante ouvir as entidades, os especialistas da área, os estudantes, professores, para que a gente possa, com muita responsabilidade, tomar decisões. Nosso grande objetivo é garantir qualidade, um bom ensino médio para os estudantes jovens do Brasil”, disse.

É importante lembrar que as mudanças do Novo Ensino Médio devem levar a reformulação do ENEM no próximo ano, 2024.

Para saber mais sobre vagas de emprego, vestibulares e cursos, acompanhe a nossa editoria de Carreiras.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.