Haddad promete grande novidade envolvendo o Pix ainda neste ano

Você tem cartão de crédito? De acordo com uma pesquisa feita pelo Serasa, em 2021, o cartão de crédito é utilizado como opção de pagamento por por 62% da população. Porém, os dias deste meio de pagamento podem estar contados. Mas não se preocupe, pois um grande substituto está chegando!

Em uma reunião realizada na Fiesp na tarde de ontem (30), o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que trabalha para democratizar o sistema de crédito no país, incluindo o uso do PIX na operação crédito.

De acordo com Haddad, o Banco Central brasileiro estuda transformar o meio de pagamento em um instrumento de crédito até a metade do ano. Com isto, será possível baratear financiamentos no país, junto com os novos instrumentos disponíveis como fintechs e novas operações de crédito.

Pix e o crédito

O ministro afirmou que atualmente existem oito projetos de lei prontos para serem enviados ao congresso que estão travados por questões formais. O petista montará um grupo para analisar e sistematizar esses projetos para garantir os ajustes necessários para aprovação. “Fiz uma reunião de uma hora e meia com o presidente do Banco Central. Vamos desengavetar todas iniciativas do BC que estavam paradas no Executivo”, afirmou Haddad.

Victor Barboza
Meu nome é Victor Lavagnini Barboza, sou especialista em finanças e editor-chefe do FDR, responsável pelas áreas de finanças, investimentos, carreiras e negócios. Sou graduado em Gestão Financeira pela Estácio e possuo especializações em Gestão de Negócios pela USP/ESALQ, Investimentos pela UNIBTA e Ciências Comportamentais pela Unisinos. Atuo no mundo financeiro desde 2012, com passagens em empresas como Motriz, Tendere, Strategy Manager e Campinas Tech. Também possuo trabalho acadêmicos nas áreas de gestão e finanças pela Unicamp e pela USP. Ministro aulas, cursos e palestras e já produzi conteúdos para diversos canais, nas temáticas de finanças pessoais, investimentos, educação financeira, fintechs, negócios, empreendedorismo, psicologia econômica e franquias. Sou fundador da GFCriativa e co-fundador da Fincatch.
Sair da versão mobile