Conta de luz sobe 12% a partir de hoje em SP; saiba o motivo

No estado de São Paulo, moradores de 24 municípios precisam preparar o bolso para pagar a mais na conta de luz. Isto porque a conta está 12% em média mais cara a partir de hoje, 4, em todas as cidades que são atendidas pela Enel São Paulo. 

publicidade

Em média o aumento será de 12,04%, sendo 18,03% para alta tensão e 10,15% para baixa tensão. De acordo com a Enel, grande parte dos clientes de baixa tensão são os residenciais. Já os clientes de média e alta tensão são, geralmente indústrias e grandes comércios.

Cidades em que a conta de luz está mais alta

  • São Paulo
  • Barueri
  • Cajamar
  • Carapicuíba
  • Cotia
  • Diadema
  • Embu das Artes
  • Embu-Guaçu
  • Itapecerica da Serra
  • Itapevi
  • Jandira
  • Juquitiba
  • Mauá
  • Osasco
  • Pirapora do Bom Jesus
  • Ribeirão Pires
  • Rio Grande da Serra
  • Santana de Parnaíba
  • Santo André
  • São Bernardo do Campo
  • São Caetano do Sul
  • São Lourenço da Serra
  • Taboão da Serra
  • Vargem Grande Paulista

Devolução de imposto não reduzirá preço da conta

Infelizmente a lei que determina que o consumidor seja restituído por cobranças duplicadas nas contas de energia não deve aliviar o bolso de forma imediata. A lei foi sancionada recentemente e determina a devolução de crédito de PIS/Cofins para o consumidor através de uma redução nas taxas de energia elétrica.

publicidade

este “crédito”, em certos estados, será devorado pelo aumento da conta de energia. É o que acontecerá em São Paulo. O desconto no PIS/Cofins foi de 8,7%, mas o aumento médio será de 12,04%.

Reajuste das contas de luz

O reajuste aprovado pela Aneel já leva em conta os créditos de PIS/Cofins, em que a devolução para os consumidores foi estabelecida em uma lei sancionada nesta semana. A medida trouxe uma queda de 8,7% ante o aumento que era previsto de início.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Entrou na conta também o aporte no valor de R$5 bilhões que a Eletrobras fará na CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), como forma de compensar a alteração no regime das usinas que deixam de ser descotizadas e passam a vender no mercado livre de energia após a capitalização da empresa. A iniciativa trouxe uma redução de 2,84%.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.