50 mil funcionários são recontratados por ‘novo McDonald’s na Rússia

Devido às sanções impostas à Rússia após a invasão da Ucrânia, a rede americana de fast-food McDonald’s fechou as 850 unidades que possuía no gigante eurasiático. Quase 3 meses depois dessa decisão, as lanchonetes começaram a ser reabertas no último fim de semana, mas agora sob uma nova marca.

Em vez do clássico logo da McDonald’s, com arcos formando a letra M, os estabelecimentos exibem agora um novo logo, com duas linhas laranjas inclinadas e um círculo vermelho, representando batatas fritas e um hambúrguer, produtos que continuarão a ser destaques na rede.

“Tentamos fazer de tudo para que nossos clientes não percebam nenhuma diferença, nem no ambiente, nem no sabor, nem na qualidade”, disse Oleg Paroyev, CEO da “Vkusno i tochka” (Delicioso e ponto final”), empresa que passará a controlar os restaurantes.

O novo proprietário, Aleksander Govor, já administrativa 25 unidades da McDonald’s na Rússia, antes de a rede de fast-food sair do país. Ele revelou que, apesar da tentativa de preservar as características dos alimentos e do ambiente nas lanchonetes, o novo negócio será diferente, por ser “totalmente russo”.

Govor se mostrou entusiasmado com a reabertura das unidades e disse querer expandir o negócio. “Estou muito orgulhoso de ter recebido a honra de desenvolver esta empresa. Sou ambicioso e planejo não apenas reabrir os 850 restaurantes, como também desenvolver outros novos”, comentou.

Fila para reinauguração

A reabertura dos restaurantes será gradual. No domingo (12), os primeiros 15 foram reabertos em Moscou, incluindo o emblemático restaurante da Praça Pushkin, o primeiro a ser inaugurado pela McDonald’s na Rússia, em janeiro de 1990, um marco do fim do socialismo e da chegada do capitalismo ao país.

Assim como 32 anos atrás, filas enormes foram formadas do lado de fora das lanchonetes, por clientes curiosos em saber como tudo será a partir de agora.

O cardápio deve ser semelhante ao usado anteriormente, apenas com a retirada de alguns itens que faziam referência direta à McDonald’s, como o Big Mac.

50 mil funcionários

A Rússia era o maior mercado da McDonald’s, além dos Estados Unidos. Além de possuir o maior número de unidades (850), a maior parte delas era administrada diretamente pela companhia americana, e não como franquias, o que garantia um lucro superior ao alcançado em outros mercados.

Os 50 mil funcionários da rede no país certamente temeram perder seus empregos após a saída da marca, mas agora podem respirar aliviados. Alexander Govor, inclusive, garantiu que irá manter todos os empregos atuais.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.