Imposto de Renda: siga esses passos para fazer a declaração retificadora

Receita Federal aguarda o envio de 10 milhões de declarações do Imposto de Renda. Se encerra no fim deste mês o prazo para prestar conta do IRPF. O documento vem sendo emitido pela plataforma do órgão. Abaixo, entenda como fazer a sua versão retificadora.

Imposto de Renda: siga esses passos para fazer a declaração retificadora (Imagem: FDR)
Imposto de Renda: siga esses passos para fazer a declaração retificadora (Imagem: FDR)

A versão de declaração retificadora do Imposto de Renda nada mais é do que uma forma de fazer o preenchimento automático dos informes financeiros. Para isso, o cidadão precisa ser em mãos o número do recibo de entrega da declaração de 2021.

Passo a passo para fazer a declaração retificadora

  • Na declaração original, clique na opção declaração retificadora;
  • Faça os acertos necessários;
  • Informe o número do recibo de entrega da última declaração entregue, referente ao mesmo ano-calendário;
  • Envie novamente a declaração.

Como instalar o programa do Imposto de Renda?

  • Acesse a página do Meu Imposto de Renda e clique no ícone de download para Windows;
  • Após o download, abra o arquivo e comece a seguir as instruções determinadas. Clique em “Sim” para iniciar o processo de instalação;
  • Em seguida, clique em “Avançar” e escolha o destino em que deseja instalar o programa. Depois, pressione “Avançar” novamente;
  • Confirme as informações e clique em “Avançar” para instalar o IRPF 2022 no Windows. No fim do processo, é possível criar um ícone na área de trabalho;
  • Procure pelo IRPF 2022 na lista de aplicativos ou na pesquisa do seu computador para abrir o programa. Em seguida, você poderá começar a preencher sua declaração de Imposto de Renda.

Quem ainda deve declarar o IRPF 2022?

  • quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2021. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado;
  • contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • quem obteve, em qualquer mês de 2021, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • quem teve isenção de imposto sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais, seguido de aquisição de outro imóvel residencial no prazo de 180 dias;
  • quem teve, em 2021, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • quem tinha, até 31 de dezembro de 2021, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;
  • quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2021.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.