Vendedores de consignados estão ‘assediando’ consumidores; prática é ilegal; entenda

Foram aplicadas pela Autorregulação para o Consignado da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), 21 novas punições a empresas por irregularidades na oferta de empréstimo consignado no mês de março.

Apenas naquele mês, 11 correspondentes bancários receberam advertências, 9 tiveram atividades suspensas de forma temporária e 1 ficou definidamente impedido de atuar em nome dos bancos. Desta forma, cresce para 896 o volume total de sanções aplicadas a empresas desde o começo  da vigência da autorregulação, em janeiro de 2020.

Em casos reincidentes, os agentes ficaram suspensos de suas atividades por prazos que variam entre 5 a 30 dias.

“O assédio comercial muitas vezes leva ao superendividamento dos consumidores, em especial dos mais vulneráveis. E isso não interessa a ninguém, nem ao consumidor nem aos bancos”, disse Isaac Sidney, presidente do órgão ao Valor Investe.

De acordo com a autorregulação, qualquer tipo de captação ou tratamento inadequado ou ilícito dos dados pessoais de consumidores sem sua expressa autorização é considerada uma falta grave. Todos os bancos que participam da autorregulação assumem o dever de utilizar das melhores práticas relacionadas com a proteção e tratamento de dados pessoais de clientes.

Os bancos que não aplicarem as sanções podem receber muitas pelo Sistema de Autorregulação por conduta omissiva, com valores que variam entre de R$45 mil até R$1 milhão.  O valor arrecadado com estas multas será voltado a projetos de educação financeira.

Uma outra medida que integra o Sistema de Autorregulação do Consignado é a plataforma Não me Perturbe. Através desta plataforma, os consumidores conseguem proibir que instituições financeiras e correspondentes bancários entrem em contato com ele para ofertar empréstimo consignado.

Liderando o ranking de pedidos de bloqueio aparece São Paulo, com 864.246, seguido seguido por Minas Gerais (334.266) e Rio de Janeiro (313.422).

Como se proteger?

Também foi preparada pelo setor algumas dicas para que os consumidores contratem o empréstimo consignado de maneira segura.

  • Sempre peça uma simulação antes de contratar o produto
  • Não tome decisões com pressa
  • Desconfie de propostas fora da realidade
  • Não efetue depósitos antecipados para receber o empréstimo
  • Só assine depois de ler tudo com atenção 
  • Caso você resolva devolver o valor seja por arrependimento ou contratação não solicitada, sempre procure os canais de relacionamento do banco e nunca faça depósitos em contas de terceiros.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.