Siga estes 3 passos para nunca mais se enrolar com o cartão de crédito

O cartão de crédito está mais uma vez no topo das causas do endividamento do brasileiro, segundo a última Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada no mês passado.

O meu objetivo com este artigo é te ensinar 3 passos para nunca mais você se enrolar com o cartão de crédito e assim, evitar que isso acabe se transformando numa dívida.

1. Cartão de crédito não é uma conta, analise como estão sendo feitos os gastos através dele

Muitas pessoas consideram o cartão de crédito como uma conta que precisam pagar. Ou seja, assim como elas têm compromisso de pagar a conta de luz, a conta de gás, o aluguel, a escola do filho, etc, elas acabam considerando o cartão de crédito como mais uma despesa.

De uma certa forma, é verdade que você tem um valor de fatura a ser pago. No entanto, se você considerar o cartão de crédito como uma despesa, você nunca conseguirá ter visibilidade de como estão sendo realizados efetivamente os gastos através do cartão de crédito.

Você precisa ter clareza de como estão sendo realizados os seus gastos e então conseguir definir quais despesas são prioritárias e devem ser mantidas e quais custos podem ser reduzidos ou eliminados.

Muitas pessoas têm medo de analisar a fatura do cartão. Elas se culpam e ficam envergonhadas por gastarem sem controle. Porém, a falta de controle é apenas um hábito que pode ser mudado e ao invés de viver se culpando, tome a responsabilidade de começar a controlar.

Imprima a sua fatura e pegue algumas canetas coloridas e comece a classificar cada um dos gastos que constam ali por categorias. Por exemplo: lazer, educação, beleza, alimentação, saúde, etc. Ao final, some o total de gastos por categoria e estipule um limite para gastar com cada uma delas.

2. Não esqueça de considerar os gastos já comprometidos com parcelamentos

Muita gente se enrola com a fatura do cartão de crédito por que esquece de considerar os valores que já foram comprometidos com parcelamentos.

Por isso, além de classificar todos os gastos por categorias, é preciso que você lance na sua planilha de orçamento anual os valores já comprometidos com as compras que foram parceladas para os próximos meses.

Perceba que tais parcelas são dívidas e, portanto, você precisa estar preparado financeiramente e ter uma reserva para conseguir arcar com pagamento destes valores caso algum imprevisto aconteça e você fique sem a sua fonte de renda mensal.

3. Não use o cartão de crédito como extensão do seu salário ou como sua reserva para emergências

Muita gente considera o cartão de crédito como um complemento do seu salário mas isso é um erro grave e que pode colocar você e sua família em risco. Outras pessoas, consideram o cartão como uma forma de reserva para lidar com imprevistos, mas isso também é um erro grande.

Aqui no Brasil as pessoas criaram o hábito de comprar com o cartão de crédito quando elas não tem saldo disponível em conta corrente e fazem suas compras considerando que irão ter dinheiro no futuro.

São inúmeros os casos de pessoas que acabam com todo o salário no mesmo dia que recebem pagando a fatura do cartão. Isso acaba se transformando em um ciclo: paga a fatura, fica sem dinheiro, gasta tudo no cartão de novo, fica sem dinheiro pagando a fatura…

Muita gente vive angustiada com esse ciclo e acha que é impossivel mudar esse padrão. Mas perceba que você criou o hábito de fazer os seus gastos assim, apesar disso, você pode se reorganizar financeiramente e conseguir viver uma vida mais tranquila com o dinheiro.

Conclusão

O cartão de crédito costuma ser uma porta de entrada para outros tipos de dívida. Você extrapola o valor da fatura e acaba pegando um empréstimo ou usando o cheque especial para conseguir pagar tudo.

Você continua usando o cartão de crédito sem controle, mas esquece de considerar que agora tem ou a parcela de um empréstimo ou um valor de cheque especial utilizado. E a bola de neve só aumenta.

O cartã de crédito não é vilão nem mocinho. Ele é só um pedaço de plástico. Você tem o controle sobre ele e pode aprender uma nova forma de lidar com o dinheiro.

Continue acompanhando os artigos da coluna Interpretando para aprender a ter uma vida financeira organizada, fazendo o dinheiro sobrar, realizando os seus sonhos e vivendo em paz com o dinheiro. Nos vemos na próxima semana!

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Karem Ochsendorf
Formada em Engenharia Elétrica com ênfase em Telecomunicações, e graduanda em Filosofia. Atualmente, pesquisa e trabalha como Educadora Financeira com mais de 10 anos de experiência no mercado. No FDR, possui sua própria coluna com dicas e orientações sobre como lidar com as finanças de maneira positiva.