Novo sistema de análise dos benefícios do INSS é criticado pelos servidores; entenda

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) não tem vivido os dias de glória. Atualmente, a autarquia enfrenta uma greve iniciada pelos servidores que já ultrapassou 30 dias, afetando os atendimentos presenciais, perícias médicas, análises e concessões de benefícios. 

Novo sistema de análise dos benefícios do INSS é criticado pelos servidores; entenda
Novo sistema de análise dos benefícios do INSS é criticado pelos servidores; entenda. (Imagem: FDR)

Em meio a este cenário caótico, o INSS tentou implementar um novo sistema de trabalho visando a otimização e agilidade na análise dos benefícios. Trata-se de um sistema de metas no qual os servidores da Previdência Social são estimulados através de pontos adquiridos mediante a realização de atendimentos presenciais. 

Na prática, os servidores da autarquia devem cumprir metas e reunir uma pontuação que visa estimular a agilidade e atenção nos atendimentos presenciais. Essas metas sugerem que os servidores do INSS reúnam 4,27 se tratando de uma jornada semanal de 40 horas e de 3,20 pontos quando a jornada for de 30 horas no decorrer da semana. 

A prioridade nestes atendimentos presenciais deve ser dada aos segurados que fizeram o agendamento pelos canais remotos (Meu INSS e Central 135). A implementação desta medida foi necessária em virtude da dificuldade que os servidores do INSS vêm enfrentando para colocar toda a demanda em dia após as agências da autarquia ficarem de portas fechadas por meses em virtude da pandemia da Covid-19.

Porém, os servidores do INSS não parecem ter ficado felizes com o novo método trabalhista. Na oportunidade, uma servidora que preferiu não ser identificada, reclamou da alta demanda, devendo analisar em média, 120 processos por mês, enquanto faz 5,5 pontos diariamente. 

Segundo ela, a análise de uma aposentadoria concede apenas um ponto. No entendimento geral, é como se os servidores da autarquia tivessem um tempo cronometrado para analisar cada processo e toda a vida laboral do segurado, apenas em benefício do próprio instituto. 

Vale mencionar que o apanhado feito até março indica que, no mês em questão, o INSS reunia 1,6 milhão de processos na fila de espera pela análise e concessão ou rejeição. Para ter uma noção da amplitude e gravidade da situação, a fila de espera formada exclusivamente por pedidos de perícia médica já soma 1.008.112 de segurados.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.