Especialista explica as vantagens e desvantagens de fazer um empréstimo

Pontos-chave
  • O FDR convidou Bruna Cordeiro, consultora financeira e Representante de Parcerias e Novos Negócios da fintech Tô Ricco, para uma entrevista exclusiva

Novas linhas de crédito movimentam a economia nacional. Nos últimos meses, o Governo Federal veio aprovando uma série de empréstimos. A iniciativa objetiva injetar recursos no PIB nacional. Porém, apesar da propaganda otimista é preciso ter cuidado ao contratar esse tipo de serviço bancário. Abaixo, um especialista explica como fazer essa solicitação de forma segura.

Buscando esclarecer dúvidas sobre a concessão de empréstimos, o FDR convidou Bruna Cordeiro, consultora financeira e Representante de Parcerias e Novos Negócios da fintech Tô Ricco, para uma entrevista exclusiva. No texto abaixo, ela explica todos os detalhes sobre as linhas de crédito. Confira:

Qual o diferencial do empréstimo consignado?

O diferencial é o que chamamos de garantia da operação de crédito.

Na linha de empréstimo comum, sem garantia o banco ou a financeira firmam um contrato acreditando no pagamento das parcelas até o final do prazo, já no consignado existe uma garantia colocada nessa operação que é o salário ou o benefício do contratante.

A parcela dessa modalidade de empréstimo tem o débito diretamente na fonte, ou seja, debita antes mesmo da pessoa receber o crédito do salário ou benefício (aposentadoria INSS), o valor da parcela fica retido e é repassada diretamente para o banco ou financeira, gerando assim mais confiança do recebimento do valor.

E é por esse motivo, por essa garantia de pagamento que o consignado é disponibilizado como uma linha de crédito com taxas e tarifas mais baixas do que as operadas em linhas sem garantia, como é o caso do crédito pessoal e limites de conta corrente que possuem altas taxas.

Quem pode solicitar?

  • Pessoas que recebem benefício do INSS (aposentadoria);
  • Servidor Público;
  • Funcionários de empresas privadas;

No último caso, a empresa privada na qual a pessoa trabalha precisa ter um convênio junto a alguma instituição bancária/ financeira, normalmente será aquele banco onde a empresa faz o pagamento de salário dos funcionários; É importante que o interessado veja a disponibilidade junto ao gerente de conta ou/e ao departamento de Recursos Humanos de sua empresa.

Quanto dinheiro posso pegar emprestado?

No consignado temos uma regra que chamamos de “Margem” que limita o nível de endividamento, sendo assim a pessoa só pode contratar um valor de crédito, onde o valor da parcela no mês não ultrapasse 30% de sua renda.

Um exemplo: Se sua renda é de R$2.500,00 a sua parcela mês não pode ultrapassar o valor de R$750,00, isso já somada juros e taxas. Resumindo, você poderá pegar um valor de crédito até X valor, mas o valor da sua parcela mês não pode ultrapassar 30% da sua renda do mês.

Algumas instituições ao analisar a liberação do crédito, podem também incluir nesses 30% outras dívidas que a pessoa possa ter.

Vamos supor que essa mesma pessoa com renda de R$2.500,00 tenha um outro financiamento, que pode ser de imóvel, carro, moto etc. Onde a parcela é de 250,00, neste caso a parcela do consignado não poderá ultrapassar R$500,00, pois a soma das duas já apresenta um comprometimento de 30% da renda no mês.

Quando falamos de análise de crédito consideramos não ser saudável uma pessoa que possua mais de 30% de sua renda mensal comprometida com financiamentos, empréstimos ou outras linhas de crédito como é o caso do cartão de crédito.

Com quanto tempo o dinheiro cai na minha conta?

Depende do convênio:

Contratos novos do INSS podem demorar até 7 dias úteis, refinanciamentos dos contratos de INSS entram no mesmo dia na conta. Já os contratos de empresas privadas e servidores públicos dependem do convênio que foi firmado entre empresa e instituição bancária. O ideal é consultar o prazo com o seu banco e o RH da sua empresa.

Quais os consignados mais vantajosos no atual mercado? Como funcionam suas taxas de juros?

A primeira coisa a se observar é entender em qual tipo de consignado você se encaixa: beneficiário do INSS, servidor público ou funcionário de empresa privada.

Após isso, você pode consultar junto ao seu banco onde existe o convênio, no caso de funcionários de empresas públicas e privadas. Já o pensionista tem uma gama maior de instituições financeiras que podem atendê-lo.

O que indico é que antes de contratar seja feito uma pesquisa prévia, hoje no site do Banco Central é possível acessar as taxas praticadas: https://www.bcb.gov.br/estatisticas/txjuros

Onde indo na coluna de Modalidade de crédito – PF – Taxas pré fixadas é possível localizar o Crédito Pessoal consignado INSS, Privado e Público.

Conforme acesso em 20/04/2022 – é possível encontrar instituições operando taxas de 1,30%a.m a 2,16%a.m para consignado INSS, de 1,34%am até 4,82%am para empresas privadas e 1,27%a.m a 5,94%a.m para servidores, o ideal é buscar taxas e tarifas mais baixas.

Quando vale a pena solicitar um consignado?

Entre pegar uma linha de crédito sem garantia e outra com, ao simular você verá que com a garantia os juros pagos são bem mais baixos, então se puder opte sempre por ter garantia nas suas operações de crédito.

Posso solicitar mais de um consignado ao longo da vida?

Pode sim, só atentar sempre o valor de comprometimento de renda mensal, onde não pode ultrapassar os 30%, importante é manter uma situação financeira saudável.

Se eu já estiver com um empréstimo em pagamento, tenho autorização para o consignado?

Ter um empréstimo em andamento não necessariamente te impossibilita de aderir ao consignado, mas na análise de crédito feita pela instituição pode ser que seu crédito não seja aprovado por diversos motivos, como:

  • Comprometimento de renda acima do considerado saudável (30% da renda);
  • Nome sujo por falta de pagamentos;
  • Pontuação de Score baixo;
  • Não há autorização por parte da empresa ou INSS.

O que preciso fazer para ter o meu pedido aprovado?

Esteja em dia com suas contas, isso inclui não deixar as contas vencer e não tenha dívidas que ultrapassem os 30% da sua renda mensal, isso facilitará a análise do seu crédito.

Eu preciso ser correntista do banco para pegar o empréstimo consignado?

Não necessariamente, mas a maioria das instituições solicitam que por segurança da operação o solicitante do crédito tenha uma conta (no caso de bancos); As financeiras emitem contratos direto para o CPF.

O que acontece se eu ficar desempregado?

Caso você adquira o consignado e no meio do contrato venha a ser desligado por vontade própria ou involuntariamente é preciso analisar duas questões:

  • Seu contrato tem seguro?

Por isso é importante saber que tipo de seguro você tem nessa opção, normalmente o seguro conhecido como Seguro Prestamista cobre algumas parcelas do contrato ou 100% da dívida;

  • No caso de demissão caso o ex-empregado tenha consignado em aberto o RH da empresa pode utilizar parte da rescisão para pagamento do consignado. (normalmente 30% da rescisão).
    Caso esse valor não seja o suficiente para liquidar o saldo devedor do contrato você:
  1. Poderá liquidar diretamente com a instituição financeira, utilizando recursos próprios;
  2. Pode renegociar o contrato, buscando alguma condição mais acessível devido o momento, neste caso a instituição irá mudar a modalidade de contrato e provavelmente a taxa será mais alta.

Nesses casos, devido a falta de renda, o ideal é tentar liquidar o contrato, para não  entrar na inadimplência (quando não conseguimos arcar com uma dívida).

E se eu não conseguir concluir o pagamento, como serei penalizado?

Nos casos de não ter mais a garantia (benefício ou salário), como dito acima o contrato é renegociado e a modalidade de linha de crédito alterada, já que por não ter mais a garantia o crédito passa a não configurar como crédito consignado e sim como um crédito normal.

Dessa forma o não pagamento pode acarretar a uma restrição bancária inicialmente, e dependendo do prazo em que a dívida se estenda, a  pessoa que contratou a operação pode ter seu nome incluído no SPC/ Serasa.

Neste caso, a solução é negociar com a instituição a melhor condição possível.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.