Educação financeira: especialista dá dica de como ensinar os filhos a lidarem com o dinheiro

Educação financeira em pauta. Diante do atual contexto econômico do país, muitos adultos passaram a se preocupar com a noção de responsabilidade dos jovens com o dinheiro. Controlar as finanças desde cedo, pode ajudar a conter os indicativos de inadimplência da população.

Apesar de parecer uma tarefa simples, parte significativa das escolas não levantam debates sobre educação financeira. O assunto não faz parte da grade curricular dos alunos, de modo que seja importante educar os filhos em casa.

Abaixo, confira uma entrevista exclusiva com Bruna Cordeiro, consultora financeira e Representante de Parcerias e Novos Negócios da startup Tô Ricco, na qual busca transformar a vida das pessoas através da educação financeira.

Qual a melhor maneira de controlar meus gastos?

Primeiramente anotando as entradas e saídas de recursos, isso trará uma visão sobre as coisas que você consome, seus maiores gastos e etc. Porém eu sei que a maioria de nós acaba perdendo a motivação de anotar todas as informações, por isso temos um bom aliado nesse processo.

Ele se chama Traçar objetivos, metas ou sonhos, estipule:

  • Quero comprar um carro de 25 mil no final de 2 ano;
  • Quero fazer um intercâmbio daqui dois semestres;
  • Quero morar sozinho (a) até o meio do próximo ano;

Colocar um propósito maior para fazer o controle dos gastos fará com que você se sinta mais focado (a), o que te ajudará a ter disciplina e manter o controle financeiro sempre em dia.

Agora para fazer tais anotações, vai de cada pessoa encontrar aquele método que fica mais fácil, você pode usar um aplicativo de lançamento de despesas, planilha de Excel ou anotar tudo em um caderno.

Como Consultora Financeira sempre indico que seja feito aquilo que for mais confortável, acessível e de fácil entendimento para você.

O que posso fazer para aumentar minha poupança?

Você pode fazer 3 coisas: Controlar, Aprender e Aumentar a renda.

Como falei acima, o controle financeiro feito corretamente, tendo um objetivo de aquisição ou realização final vai te dar mais disciplina para ter menos gastos e despesas, o famoso “viver um degrau abaixo”, e assim conseguir guardar mais dinheiro.

Mas não é só guardar, você precisa ter conhecimento para investir bem esse recurso, para ter bons rendimentos, então estudar sobre produtos de renda fixa, renda variável, entender sobre as taxas de juros básicas do mercado (SELIC, CDI, IPCA), se atualizar sobre os movimentos políticos e econômicos e saber o que está acontecendo no mundo.

Essa rotina de aprender sobre esses temas, chamamos aqui na Tô Ricco de aprendizagem contínua, aos poucos todos os dias dá para você aprender muita coisa e com toda certeza isso te trará autonomia financeira.

Outro ponto importante é aumentar a renda, talvez esse seja o mais difícil atualmente devido à crise gerada pela pandemia, mas é um ponto importante que na hora de pensar sobre Aumento de poupança, a gente não pode deixar de olhar para algumas oportunidades: melhores emprego, pedir aumento salarial, freelancer entre muitas outras coisas.

Quando devo usar minhas economias guardadas?

Ideal é que você tenha objetivos e suas economias sejam realizadas e usadas para atender os seus sonhos.

Investir nada mais é do que deixar de comprar hoje para comprar amanhã por um custo melhor. Mas tome cuidado com promoções, descontos inexistentes e até fraudes, avalie bem antes de usar o seu dinheiro.

Entretanto, essa pergunta vem para mim quando ocorre uma emergência, tipo: carro quebrado, perdeu emprego e precisa pagar as contas, o pet ficou doente e etc. Tudo aquilo que a gente não espera que aconteça, mas no fundo sabemos que pode acontecer.

Para isso tem um famoso termo chamado de Reserva de Emergência, um recurso que você deve destinar para criar uma rede de proteção financeira de pelo menos 6 meses, o valor que deve ser guardado nessa reserva deve refletir o seu custo mês.

Então se dentro de um mês você tem custos de R$600,00, sua reserva deverá ser R$600 x 6 meses = R$3.600,00. Quanto mais alto for o seu custo mensal maior será o valor a ser guardado para a reserva.

O cenário ideal é que você faça as suas economias pensando naquele objetivo que você deseja e ir conjuntamente construindo aos poucos sua reserva de emergência, dessa forma você fica mais tranquilo (a) na hora que precisar usar suas economias saberá melhor como usá-las.

https://www.youtube.com/watch?v=2dt4FjTNmr4&list=PLBAil7jyE7yym486kDQmY3Y9xwHCc-dFk&index=4

Já devo pensar como a carreira que vou escolher vai impactar na minha vida financeira?

Com toda certeza! Pode parecer cedo, mas o ideal é analisar o futuro com os olhos do agora.

Pesquise sobre a carreira a qual você deseja seguir: Média salarial, quais as melhores empresas para se trabalhar, quais os conhecimentos necessários para conseguir uma boa vaga de emprego. 

Essas informações que te ajudarão a refletir sobre: o que eu desejo, como eu desejo, porque eu desejo e quando eu consigo realizar.

O dinheiro está o tempo inteiro flertando com as diversas áreas da nossa vida, principalmente com a nossa carreira.

Com a sua profissão você dedica tempo e conhecimento para o desenvolvimento de uma empresa ou de um projeto e em contrapartida recebe dinheiro por ter trabalhado, nada mais certo do que entender o que a sua carreira trará de mudança na sua vida financeira.

Como usar meu cartão de crédito de forma saudável?

Tá aí um produto financeiro que pode te levar do céu ao inferno muito rápido, na verdade não é o cartão que faz isso, são suas atitudes usando-o, então use com sabedoria.

Acompanhe o saldo do seu cartão, olhar frequentemente o saldo da fatura trará mais consciência sobre o que está sendo gasto, a maioria de nós só olha para o saldo final após o fechamento da fatura… aí já é tarde demais.

Faça o controle financeiro também das suas compras no cartão, se possível logo após efetuá-las, a maioria das empresas de cartão envia um SMS com os dados da compra aprovada, então faça esse acompanhamento até para que você não esqueça o que comprou e torne isso um hábito.

Outro ponto é evitar descasamento de datas, o cartão tem vencimento dia 01, mas o salário cai na conta no dia 05; Aí você espera cair o dinheiro e paga 4 dias de juros ao banco sem necessidade, coloque sempre a data de vencimento do cartão após o recebimento do salário.

Importante, evite emprestar cartão de crédito, se um amigo ou familiar está sem cartão porque o banco não autorizou, existe algum motivo por trás disso e normalmente está atrelado a inadimplência ou comprometimento de renda.

Como calcular minha média de gastos por mês e garantir aplicações na poupança?

Quando você começar a fazer suas anotações das entradas e saídas, verá que todos os meses certas contas não mudam muito de valor e por saber que elas irão durar muito tempo ou para sempre você poderá classificá-las como despesas/gastos fixos, aqui entra contas de consumo como água, luz, telefone, faculdade etc.

Terá também as despesas que ocorrem algumas vezes no ano de forma esporádica, essas podemos classificar de despesas/gastos variáveis: cursos de pequena duração, compra de roupa, tênis, viagem e etc.

Para construir a média de gastos você pode pegar os seus últimos 3 a 6 meses de movimentação da sua conta corrente, o extrato do seu cartão e classifique aquilo que é despesa/gasto fixo e variável para cada mês, após isso some todos os meses e dívida pelo número de meses que você analisou.

O resultado final será sua média de gastos, dessa forma você consegue saber quanto da sua renda, do seu salário está indo embora e quanto fica na conta e claro se existem a possibilidade de reduções de gastos que você pode fazer para aumentar o valor que “sobra”.

Essa “sobra” o que você faz? É essa diferença que você deve investir buscando colocar o seu dinheiro para trabalhar, dessa forma você conseguirá ter mais disciplina e garantir aportes mensais para aumentar o valor poupado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.