Auxílio Emergencial: Congresso cogita a volta do benefício no valor de R$ 600

Após o recesso de Carnaval, o Congresso Nacional voltou a debater a possibilidade de voltar a conceder o auxílio emergencial no valor de R$ 600. Porém, o Ministério da Cidadania mantém firme a decisão de não prorrogar ou relançar o projeto que, durante o período mais crítico da pandemia da Covid-19, conseguiu amparar cerca de 39 milhões de famílias vulneráveis.

Auxílio Emergencial: Congresso cogita a volta do benefício no valor de R$ 600
Auxílio Emergencial: Congresso cogita a volta do benefício no valor de R$ 600. (Imagem: FDR)

Ainda assim, vários políticos não medem esforços na tentativa de retomar o auxílio emergencial de R$ 600. É o caso do deputado federal, Renildo Calheiros, que ressaltou a importância do benefício para milhões de brasileiros que permanecem desassistidos nesta pandemia que não tem previsão para acabar.

O parlamentar ainda pontuou a situação dos milhares de brasileiros que não foram incluídos no programa que substituiu o auxílio emergencial e o Bolsa Família, o Auxílio Brasil, em vigor desde novembro de 2021.

Desta forma, muitas pessoas continuam precisando driblar as necessidades para manter a subsistência própria e da família enquanto arcam com despesas de moradia e alimentação que são cruciais.

Dados oficiais do próprio Ministério da Cidadania afirmam que, aproximadamente, 25 milhões de brasileiros ficaram desamparados com o fim do auxílio emergencial em outubro do ano passado, mês em que pagou a sétima e última parcela referente à última renovação do programa social.

De acordo com o chefe da pasta, o ministro João Roma, apenas uma parcela composta por três milhões de pessoas foram consideradas elegíveis ao Auxílio Brasil e devidamente incluídas na nova transferência de renda.

O retorno do auxílio emergencial também é defendido pelo pré-candidato à presidência da República, André Janones, que durante uma entrevista ao Poder360, destacou que “pobre não é problema! Colocar dinheiro na mão do pobre vai melhorar a economia”. Ele ainda pontuou dados capazes de mostram que o benefício influenciou no aumento da arrecadação de tributos em mais de 100%.

Entretanto, mesmo diante da movimentação dos deputados nos bastidores do Congresso Nacional, não há nenhum indício de que o auxílio emergencial realmente voltará a vigorar. Por hora, o Governo Federal mantém a alegação de que não possui condições financeiras para arcar com uma nova rodada do programa, pois todo o espaço do Orçamento da União já foi ocupado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.