Meta (FBOK34) pode encerrar Facebook e Instagram na Europa; como as ações estão reagindo?

A Meta, dona do Facebook e Instagram, informou que pode ter que retirar suas redes sociais do ar na Europa, por conta das leis europeias de proteção de dados. A declaração foi realizada em relatório enviado para a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, em inglês), nesta quinta-feira (3).

Caso a empresa da Mark Zuckerberg não possa seguir transferindo dados de usuários de volta para os Estados Unidos, poderá encerrar as operações das redes sociais.

Essa dificuldade pode acontece devido a uma nova legislação, atualmente desenvolvida por reguladores na Europa, para proteger a privacidade da população na região.

Em julho de 2020, a Tribunal de Justiça Europeu definiu que o padrão de transferência de dados entre a União Europeia e os EUA não poderá ultrapassar o Atlântico.

Em relatório, a Meta alegou que a medida impactaria material e adversamente seus negócios, resultados operacionais e condição financeira. A companhia também informou que a oferta dos serviços se tornará inviável.

Segundo a empresa, caso não seja adotada uma nova estrutura de transferência transatlântica de dados e não for possível seguir a contar com SCCs (cláusulas contratuais padrão) — ou confiar em outros meios alternativos de transferência de dados, provavelmente não poderá oferecer diversos serviços e produtos.

Meta declara que não deseja parar de operar na Europa

Após a repercussão, a Meta, em nota, declarou que não deseja ou está “ameaçando” deixar de funcionar na Europa.

Contudo, do mesmo modo como 70 outras companhias europeias e norte-americanas, ela está “identificando riscos para os negócios como resultado de uma incerteza em torno de transferências internacionais de dados”.

Conforme a Meta, todas as companhias com ações na bolsa devem cumprir exigências legais. Além disso, estas precisam comunicar riscos materiais aos seus investidores. A empresa destacou que, desde o segundo trimestre 2018, ressalta esse risco em seus relatórios.

Desempenho das ações da Meta

Nesta terça-feira (8), diante dessa repercussão, as ações da Meta registraram queda de 2,10%, a US$ 220,18 na Nasdaq. Vale destacar que os papéis da companhia já tinham apresentado desempenho adverso recentemente.

Na última quinta-feira (3), as ações da empresa registraram desvalorização de 26,36%. Esta foi a maior redução diária da ação na história da bolsa. Neste caso, a queda aconteceu após a divulgação dos resultados trimestrais da Meta. A publicação causou preocupações sobre as perspectivas da companhia.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.