Tesouro Direto: apenas um dos títulos teve desempenho favorável em janeiro; saiba qual

Dentre os papéis disponíveis para compra no Tesouro Direto, somente os títulos atrelados à taxa Selic tiveram desempenho favorável em janeiro. Por outro lado, os títulos prefixados e IPCA+ caíram. Os ativos pré e atrelados à inflação de prazos de vencimento menores tiveram as menores perdas no período.

Tesouro Direto: apenas um dos títulos teve desempenho favorável em janeiro; saiba qual
Tesouro Direto: apenas um dos títulos teve desempenho favorável em janeiro; saiba qual (Imagem: Montagem/FDR)

Assim como aconteceu nos meses anteriores, os títulos públicos atrelados à taxa Selic tiveram desempenho positivo em janeiro — em termos nominais, desconsiderando a inflação.

As principais quedas foram dos papéis mais longos do Tesouro IPCA+. O ativo com a maior perda foi o com vencimento em 2045. Neste caso, a desvalorização foi de 11,71% em janeiro.

Já os prefixados curtos tiveram menores recuos no mês. Os papéis que vencem em 2031 tiveram queda de 3,52%.

Performance dos títulos do Tesouro Direto em janeiro

Até o dia 31 de janeiro, essas foram as rentabilidades dos títulos do Tesouro Direto:

Indexados à taxa Selic

  • Tesouro Selic 2023: rentabilidade de 0,83%
  • Tesouro Selic 2024: rentabilidade de 0,87%
  • Tesouro Selic 2025: rentabilidade de 0,88%
  • Tesouro Selic 2027: rentabilidade de 0,90%

Prefixados

  • Tesouro Prefixado 2023: rentabilidade de 0,40%
  • Tesouro Prefixado 2024: rentabilidade de -1,12%
  • Tesouro Prefixado 2025: rentabilidade de -1,42%
  • Tesouro Prefixado 2026: rentabilidade de -2,34%
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2023: rentabilidade de 0,46%
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2025: rentabilidade de -0,93%
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2027: rentabilidade de -1,98%
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2029: rentabilidade de -3,45%
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 2031: rentabilidade de -3,52%

Indexado ao IGP-M

  • Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais 2031: rentabilidade de -0,87%

Indexados ao IPCA

  • Tesouro IPCA+ 2024: rentabilidade de -0,22%
  • Tesouro IPCA+ 2026: rentabilidade de -0,98%
  • Tesouro IPCA+ 2035: rentabilidade de -6,38%
  • Tesouro IPCA+ 2045: rentabilidade de -11,71%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2024: rentabilidade de -0,13%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2026: rentabilidade de -0,73%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2030: rentabilidade de -2,65%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2035: rentabilidade de -4,14%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2040: rentabilidade de -4,63%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2045: rentabilidade de -4,48%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050: rentabilidade de -4,69%
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2055: rentabilidade de -5,14%

Cabe ressaltar que as variações indicadas representam a marcação a mercado. Sendo assim, a oscilação impacta somente os investidores que resgatam as aplicações antes do fim do prazo estabelecido com o governo.

Se a pessoa manter o título até a data de vencimento, será mantido o retorno previsto no momento da compra.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.