Inflação chegou no metaverso: terrenos têm valorização de 500%; entenda

Pontos-chave
  • O mundo do metaverso está cada vez maior;
  • Agora, os usuários podem comprar um terreno;
  • Alguns famosos já até fizeram a compra de terrenos no mundo digital.

Os índices de preços dispararam em todo o mundo e os consumidores já perceberam isso, porém, agora a inflação está chegando na nuvem. Em uma versão moderna de vender terreno no céu, há gente disposta a pagar milhões por um terreninho no metaverso.

Esse é um o universo digital que muita gente ainda nem entendeu do que se trata e já tem preços disparando 500% no “mercado imobiliário” em questão de meses.

A empresa canadense Tokens.com, que investe em imóveis no metaverso e em NFTs, recentemente gastou quase US$ 2,5 milhões em um pedaço de terra em Decentraland, um dos vários mundos populares do metaverso. De acordo com o CEO da companhia, Andrew Kiguel, à CNBC disse que os preços tiveram uma alta de 400% até 500%.

Um outro mundo que já é conhecido na nuvem é o Sandbox, onde a empresa de desenvolvimento imobiliário virtual de Janine Yorio, Republic Realm, gastou um recorde de US$ 4,3 milhões em um terreno virtual. Segundo ela, sua empresa vendeu 100 ilhas privadas virtuais no ano passado por US$ 15 mil cada. 

Esse ritmo tem sido  tão acelerado que Sandbox, Decentraland, CryptoVoxels e Somnium Space já chegaram a bater, juntas, mais de US$ 100 milhões em vendas de terrenos em apenas uma semana.

O que é metaverso?

A ideia representa a possibilidade de acessar uma espécie de realidade paralela, em alguns casos ficcional, em que uma pessoa pode ter uma experiência de imersão.Assim, o metaverso não é algo real, mas busca passar uma sensação de realidade e possui uma estrutura no mundo real para isso.

Após essa ideia de imersão, diversos metaversos surgiram com os videogames, mas o  grau de “metaverso” dos jogos varia pelo nível de imersão, e também pela capacidade de passar um certo realismo para o usuário. A tecnologia, porém, é um grande fator que limita essa capacidade.

Quem já está na era do metaverso?

Um dos famosos que já está nessa era, é o rapper Snoop Dogg, que está construindo uma mansão virtual em um terreno no Sandbox. Recentemente, um colecionador de NFTs desembolsou US$ 450 mil para ser vizinho do artista. Paris Hilton já tem sua própria ilha virtual no mundo Roblox, replicando sua mansão em Beverly Hills. No Ano Novo, Hilton fez uma festa em que seu avatar foi DJ.

Áreas próximas a famosos ou onde costumam acontecer eventos são as mais caras, seguindo a lógica Itaim/Alphaville. Há o mercado residencial mas também comercial, assim dá para alugar o imóvel, arrendar a terra, montar um negócio.

No mundo real, investimentos em imóveis costumam atrair investidores mais conservadores, em busca de rentabilidade perene – quando o mercado está em baixa, ainda tem o ativo na mão. No metaverso, o tijolo também é virtual.

Quais os terrenos mais caros do metaverso?

 O Republic Realm, um fundo de investimentos especializado em imóveis digitais, comprou em novembro um terreno no The Sandbox pela bagatela de US$ 4,3 milhões, a maior venda registrada pela plataforma até agora, segundo o WSJ.

No mesmo mês, um terreno no Axie Infinity, outro jogo que possui o seu próprio mundo virtual, foi vendido por US$ 2,5 milhões. A maior venda registrada até aqui, segundo a empresa responsável pelo game. 

Por fim, a Metaverse Group (não confundir com a Meta) comprou um terreno na Decentraland por US$ 2,4 milhões.

Como comprar terreno no metaverso?

Primeiro, é necessário ter uma carteira e uma reserva em criptomoedas para conseguir comprar o seu espaço no metaverso. 

Depois é preciso basta baixar o app da carteira no computador ou celular e comprar ethereum e os tokens nativo das plataformas, no caso o SAND e/ou MANA. São eles que vão permitir comprar terras e demais itens no metaverso. O ethereum, por sua vez, será necessário para pagar as taxas de transação cobradas por cada negociação na rede da criptomoeda.

Se não tiver criptomoedas, tenha em mente que será necessário recorrer a uma corretora especializada, como a Binance e o Mercado Bitcoin, são bons exemplos.

Após isso só se cadastrar para conseguir acessar o metaverso escolhido. Indique um endereço de e-mail válido, crie uma senha e atrele a sua carteira de criptomoedas. Em seguida, por meio do marketplace da plataforma é possível escolher um terreno virtual que caiba no seu bolso.

Ao realizar a compra, o terreno é enviado e armazenado na própria carteira de criptomoedas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.