Brasil na ‘zona de rebaixamento’: ONU não tem boas perspectivas para o PIB em 2022

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil poderá ser um dos mais fracos do mundo neste ano. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), o desempenho, do PIB em 2022, deve ser o 3º pior do mundo. Dos 173 países apurados, o Brasil deve estar à frente apenas da Guiné Equatorial e Mianmar.

Brasil na 'zona de rebaixamento': ONU não tem boas perspectivas para o PIB em 2022
Brasil na ‘zona de rebaixamento’: ONU não tem boas perspectivas para o PIB em 2022 (Imagem: Montagem/FDR)

A entidade informa que a economia brasileira terá um crescimento de 0,5% neste ano, em relação ao ano passado. Os dados foram divulgados por meio do Departamentos Econômico das Nações Unidas, nesta quinta-feira (13).

Em comparação ao último informe da ONU, divulgado no ano passado, houve uma redução de 1,7 ponto percentual na estimativa.

Se por um lado a entidade diminuiu a projeção para o Brasil, houve uma elevação para o restante do planeta. Segundo o levantamento recente, a entidade prevê que a economia global terá um crescimento médio de 4% em 2022.

PIB em 2022 do Brasil deve ser menor do que a média na América Latina

Segundo a ONU, na América Latina, o desenvolvimento econômico médio deve ser de 2,2% — também acima do estimado para o Brasil. Ao considerar os países ricos pelo mundo, há uma previsão de expansão de 3,7%.

No resto do planeta, a organização afirma que a retomada econômica ainda enfrenta as incertezas da pandemia de covid-19. Outros problemas citados foram o impacto da nova variante ômicron, os desafios no mercado de trabalho e a pressão inflacionária.

Além disso, os bancos centrais mundiais ainda devem passar a retirar os pacotes de auxílio — criados para lidar com o panorama adverso. Desse modo, as medidas podem resultar em mais dificuldades.

A ONU avalia que o resultado fraco do Brasil tem, em parte, relação com a perda de força das commodities.

Mesmo que os exportadores de commodities da América do Sul tenham liderado a retomada na pandemia da região, a agência informa que suas perspectivas de desenvolvimento para 2022 e 2023 são reduzidas.

A entidade alega que, de modo geral, a recuperação da América Latina não vem sendo suficiente para reverter os prejuízos da pandemia, “que empurrou milhões para fora do trabalho e para a pobreza”.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.