Após anúncio de lei que exige seguro para entregadores, empresa de delivery irá encerrar operação no Brasil

Pontos-chave
  • Uber Eats encerra o serviço de entrega de comida no dia 7 de março;
  • Demais segmentos de deliver do Uber Eats continuarão, como o Flash e o Direct;
  • Celebridades investem em empresas de delivery e outras startups.

A Uber Eats, empresa de delivery de comida pioneira, irá encerrar as atividades no Brasil após cinco anos. A decisão foi anunciada em conjunto com a sanção da lei que exige a essas empresas, o oferecimento de um seguro de vida aos entregadores de aplicativo. 

O último dia de atuação da empresa de delivery no Brasil será no dia 7 de março. Mas mesmo após esse período, a companhia decidiu manter o aplicativo Uber Eats ativo, mas apenas para entrega de supermercado através da Cornewshop, uma startup chilena comprada pela Uber em 2021.

Hoje, a empresa de delivery realiza entregas de supermercado em mais de 100 municípios brasileiros. Os serviços prestados pela Uber Flash também serão mantidos, pois consistem em entregas rápidas a consumidores por motoristas de aplicativo. O mesmo vale para o Uber Direct, direcionado a varejistas que oferecem entregas a clientes das lojas no mesmo dia da compra. 

Em comunicado, a empresa disse que irá trabalhar em duas frentes, sendo a primeira com a Cornershop by Uber, para serviços de intermediação de entrega de compras de supermercado, atacadistas e lojas especializadas; e a segunda de entrega de pacotes pelo Uber Flash. Hoje, a empresa de delivery que domina o mercado deste ramo é o iFood, com 70% de participação.

Agora, com a saída da Uber Eats do segmento, a colombiana Rappi, volta a atuar como a principal concorrente do iFood no Brasil. Conforme apurado pelo Valor Econômico, a decisão do Uber Eats em encerrar as atividades está relacionada à pressão da liderança de mercado provocada pelo iFood. 

Para se ter uma noção do cenário, em setembro de 2020 o Rappi precisou dar entrada em um pedido de investigação contra o crescimento do iFood. O pedido foi protocolado junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Em meados de março, a Superintendência-Geral do Cade decidiu proibir o iFood de fechar os novos contratos de exclusividade com restaurantes em sua plataforma, em caráter preliminar.

“A Uber segue seu compromisso com seus mais de 1 milhão de motoristas parceiros que geram renda fazendo viagens e entregas pela plataforma – o volume de viagens no Brasil já é maior do que o registrado no período anterior à pandemia. A empresa seguirá expandindo produtos para outros meios de transporte, como motos e táxis”, informou a companhia.

Investimento em delivery

Enquanto isso, nos Estados Unidos da América (EUA), a cantora Selena Gomez, tornou- se a mais nova investidora de uma startup. A empresa de delivery Gopuff, é avaliada em US$ 15 bilhões, o equivalente a R$ 84,6 e tem ganhado destaque por oferecer serviços de entrega de alimentos e conveniências extremamente ágeis.

A cantora e atriz ainda não abriu o montante do investimento, mas disse que a relação junto à marca não será limitada ao apoio financeiro. Ela espera se tornar uma parceira estratégica da empresa de delivery o quanto antes. Uma parte da parceria terá a capacidade de incluir da Gopuff dos produtos da Serendipity Brands, uma marca de sorvetes da qual Selena é co-proprietária. 

Selena Gomez disse estar impressionada com a startup quando ela própria usou os serviços pela primeira vez durante um encontro com amigos. 

“A primeira vez que ouvi falar da Gopuff foi numa noite em que estava em casa com alguns amigos. Precisávamos de algo da loja, mas ninguém queria pegar o carro e dirigir até lá, então alguém sugeriu a Gopuff. Fiquei surpresa com a rapidez com que nosso pedido chegou. Depois disso, comecei a ouvir o nome deles e a ver a marca Goopuff surgir em todos os lugares”, declarou Serena.

De acordo com o vice-presidente da Gopuff, Dan Folkman, a parceria com Selena Gomez tem um potencial enorme de atrair novos consumidores do negócio, principalmente em decorrência da visibilidade e alcance nas redes sociais. Enquanto isso, Gomez se consolida como uma celebridade presente no mundo dos negócios. 

Em novembro do ano passado, a artista anunciou estar trabalhando junto com a mãe Mandy Teefey, produtora da famosa série 13 Reasons Why, em uma empresa de mídia especializada em saúde mental. Selena também tem uma marca de produtos de beleza veganos, a Rare Beauty.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.