Já é possível comprar consórcios por meio 100% digital; conheça algumas opções

Consórcios aderem ao meio digital. Já é possível comprar consórcios de maneira 100% digital revolucionando o antigo modelo. A Turn2C, Eutbem, Finby, levantadas pelo portal Fintechs Brasil, além do Mycon,  são algumas das fintechs de consórcios que se destacam no meio. Conheça as plataformas:

Turn2C

A fintech Turn2C atualmente se encontra na reta final da sua primeira rodada de captação junto a quatro fundos, o valor é de R$ 10, milhões.

A empresa atua no modelo B2B2C e pretende expandir significativamente sua captação. Segundo Bruno Pinheiro, CEO da fintech, a rodada foi antecipada em decorrência do crescimento da empresa que acontece de maneira mais rápida que o previsto. O business plan era de que a Turn2C deveria conquistar 500 parceiros até o fim de 2021, a meta foi alcançada ainda em outubro.

De acordo com Pinheiro, em entrevista ao portal Fintechs Brasil, o produto consórcio foi a porta de entrada quando viram que era um produto com potencial, mas bastante mal vendido. “Não somos vendedores de consórcio, somos uma empresa de tecnologia. Queremos estar ao lado do cliente desde a compra do bem até sua venda, seu uso como garantia de uma operação, a contratação de um seguro para o bem. São várias possibilidades”. Afirma o CEO da empresa.

A empresa simula de forma automática os melhores planos em termos de prazo, valor, juros e parcelas para cada cliente.“Até o momento nenhum concorrente aplica Machine Learning e Inteligência Artificial como a Turn2C para encontrar as melhores soluções de consórcio para o cliente final, é um conceito realmente inovador; foi isso que atraiu os outros investidores”, afirma o sócio Fabio Leme, na fintech desde junho.

Eutbem

A Eutbem, fintech de consórcio 100% digital, tem a pretensão de investir R$ 10 milhões em captação, em 2022. O aporte inicial da startup foi de R$ 4 milhões.

A empresa é voltada para mulheres e desde 2021 está focada em proporcionar às suas clientes acesso ao crédito justo para a realização de sonhos como empreender, reformar a casa, fazer curso, viagens, entre outras possibilidades.

A empresa se inspira nos Sete Princípios de Empoderamento das Mulheres criado pela ONU ( Organização das Nações Unidas) e tem como objetivo propor equidade de gênero ao incentivar liderança corporativa, educação, formação e empoderamento feminino.

Finby

A Finby está inaugurando seu marketplace de cofinanciamento de bens e serviços, chamado FinbyFree. De acordo com a empresa, a  plataforma que usa a tecnologia de blockchain e a descentralização é uma revolução no modelo tradicional de consórcio.

A fintech surgiu em 2019, através de um grupo de amigos com interesses em comum por investimentos  e tecnologias. Os idealizadores da empresa contam com o apoio da IBM.

O CEO, Marcos Lecasi, explicou, ao Fintechs Brasil, que a concessão de crédito pretende tornar possível sonhos interrompidos pela pandemia da Covid-19. “Acreditamos que de forma digital, através da tecnologia, poderemos finalmente ajudar as pessoas a dar um start nos planos que foram estacionados, como desde ingressar em uma faculdade até realizar a viagem dos sonhos”, afirma.

Mycon

A Mycon é uma empresa 100% digital e conta com taxas de juros menores que as praticadas no mercado. Segundo Márcio Kogut, criador da empresa, existia a dificuldade de oferta de crédito no mercado brasileiro de consórcios sem complicação.

A empresa orienta opções de planos e serviços para o cliente e avalia a capacidade de comprometimento de renda.

Através do app disponível para Android e iOS é possível acompanhar todas as informações do consórcio.

As taxas de juros aplicadas são as seguintes:

Imóveis: taxa mensal a partir de 0,5%;

Automóveis: taxa mensal a partir de 0,12%;

Motos: taxa mensal a partir de 0,12%;

Serviços: taxa mensal a partir de 0,20%.

Victor Barboza
Meu nome é Victor Lavagnini Barboza, sou especialista em finanças e editor-chefe do FDR, responsável pelas áreas de finanças, investimentos, carreiras e negócios. Sou graduado em Gestão Financeira pela Estácio e possuo especializações em Gestão de Negócios pela USP/ESALQ, Investimentos pela UNIBTA e Ciências Comportamentais pela Unisinos. Atuo no mundo financeiro desde 2012, com passagens em empresas como Motriz, Tendere, Strategy Manager e Campinas Tech. Também possuo trabalho acadêmicos nas áreas de gestão e finanças pela Unicamp e pela USP. Ministro aulas, cursos e palestras e já produzi conteúdos para diversos canais, nas temáticas de finanças pessoais, investimentos, educação financeira, fintechs, negócios, empreendedorismo, psicologia econômica e franquias. Sou fundador da GFCriativa e co-fundador da Fincatch.