Reservas mais ‘secas’: inflação e pandemia reduzem poupança dos brasileiros; o que fazer?

Pontos-chave
  • A inflação fez com que os brasileiros usassem a sua reserva;
  • Por conta da pandemia, os brasileiros usaram dinheiro da poupança;
  • Assim, é preciso investir para recuperar o dinheiro perdido.

Com a alta da inflação e a perda de renda, muitos brasileiros estão sendo obrigados a esvaziar as reservas acumuladas por anos. Isso acontece na fase mais crítica da pandemia do coronavírus, quando o pagamento do auxílio emergencial destinado aos mais pobres e a redução do consumo levaram a um aumento significativo das taxas de poupança.

publicidade

De acordo com as estatísticas divulgadas recentemente, está acontecendo uma queda acentuada nos fluxos da poupança e isso sugere uma correlação muito forte com o movimento da diminuição da renda dos trabalhadores nos últimos meses, segundo afirmam os economistas.

Os cálculos realizados pelo professor Carlos Antonio Rocca, do Cemec-Fipe, apontam fluxo negativo de R$ 13,8 bilhões na poupança financeira das famílias em setembro. Em uma medida ampla que inclui depósitos em cadernetas de poupança, investimentos em ações e outras aplicações financeiras.

Essa foi a maior queda nas cadernetas de poupança com um saldo inferiores a R$ 5.000. Apenas as cadernetas com saldos superiores a R$ 50 mil registraram fluxo positivo, de acordo com os dados do Fundo Garantidor de Crédito compilados por Rocca.

publicidade

O último relatório de estimativas da inflação, que foi publicado na sexta-feira (17) pelo Banco Central apontam uma  perda de renda de 7,6% neste ano até setembro, descontada a inflação. A conta inclui salários, aposentadorias, benefícios sociais e outras rendas.

Qual a importância da educação financeira?

Educar-se financeiramente é um importante passo para a liberdade pessoal. 

Anos atrás, vivíamos no Brasil um sério processo de hiper inflação que estancou e estagnou a economia brasileira por uma década, inibindo-a de qualquer possibilidade de crescimento econômico sustentado, período conhecido como a “década perdida” da economia brasileira.

Como construir uma reserva?

Há algumas premissas em educação financeira como: evitar empréstimos para suprir necessidades cotidianas. 

Isso pois, as pessoas não conseguem pagar dívidas fazendo mais dívida; cheque especial é reserva contingencial, reserva de emergência, ou seja, é um fim, não um meio. 

publicidade

Para isso primeiro, antes de realizar qualquer despesa pague a si próprio, canalize o recurso para a sua reserva financeira; investir em reserva financeira é adquirir um ativo financeiro. 

Como educar financeiramente meus filhos?

É um caminho para aprender a trilhar com suas próprias pernas para que iniciem a discutir o assunto em família e, no futuro, tenham uma relação mais consciente com suas finanças.

Cofrinho e mesada são uma boa opção?

Poupar dinheiro pode ser o primeiro passo para valorizar cada aquisição, então se ele coloca suas moedinhas no cofre ou guarda a mesada ele aprende que para ter é necessário administrar os custos.

publicidade

Cofrinho: O importante é que exista um objetivo final para aquele dinheiro e que crie a sensação de acúmulo permanente, entendendo que aos pouquinhos, se chega lá. Ao longo do tempo você terá a expectativa de que está quase completo.

Mesada: Muitos pais adotam esse método para mostrar para seus filhos que o dinheiro vem gradativamente e que a vida financeira exige escolhas.

Dicas de educação financeira

Ganhe, economize e invista

Pegue o valor ganho com trabalho, evite gastos desnecessários e use esse dinheiro para investir e quem sabe até duplicar os seus ganhos.

publicidade

Tenha metas

Determine metas para fazer o seu controle financeiro funcionar. São elas que o motivarão a promover as mudanças necessárias na rotina para levantar os recursos exigidos para as suas conquistas.

Tenha objetivos de curto, médio e longo prazo, ou seja, para realizar em tempo curto (2 meses), médio (12 até 14 meses) e longo prazo (3 anos ou mais).

Realize aplicações mensais

O primeiro passo antes de fazer investimentos é entender o seu perfil de investidor. As corretoras de valores aplicam um teste e sempre indicam se um investimento é adequado ou não para o seu perfil.

publicidade

Há alguns investimentos que são destinados para o perfil deste investidores e as corretoras podem ajudá-los a encontrar aquele que atende às suas necessidades.

Para definir primeiro é preciso definir qual instrumento financeiro deseja negociar e logo depois fazer uma busca pelo corretor para seu perfil.

Antes de começar a investir é preciso definir alguns pontos e ter eles bem claros.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

Entre as aplicações disponíveis, estão:

  • Certificado de depósito bancário (CDB)
  • Tesouro Direto
  • Letras de crédito imobiliário (LCI)
  • Letras de crédito do agronegócio (LCA)
  • Fundos de renda fixa referenciados DI

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.