Vitreo lança dois fundos de investimentos de criptomoedas

Pontos-chave
  • A empresa Vitreo lançou dois fundos de criptoativos;
  • Os fundos possuem um investimento mínimo de R$1 e R$ 5 mil;
  • A Vitreo possui nove produtos de investimentos.

Nesta quarta-feira (1) a Vítreo colocou no ar mais dois fundos de investimentos criptoativos. Assim, os investidores de varejo e o público qualificado podem acessar o universo das smartcoins por meio de uma estrutura que conta com a gestão ativa da casa e validação de análise da Empiricus.

Os fundos estão disponíveis na plataforma Vítreo para o acesso dos clientes.

O primeiro fundo é o Vítreo Cripto Smart, que possui uma alocação de 100% nos ativos relacionados aos Smart Contracts. Esse fundo possui um investimento mínimo no valor de R$ 5 mil.

A taxa de administração é de 1,5% ao ano e uma taxa de performance de 20% sobre o que exceder o ICE US Treasury Short Bond Index TR +2%. 

A regulamentação da CVM sobre os ativos baseados no exterior é exclusiva para os investidores qualificados.

Já o segundo, o Vítreo Coin Smart, será voltado para todos os perfis de investidores, no qual possuem uma exposição de 20% no Vitreo Cripto Smart e de 80% em ETFs de criptoativos listados na bolsa brasileira. 

Além disso, a taxa de administração será de cerca 0,34% ao ano e a taxa de performance é de indireta, isso inclui somente a performance dos fundos investidos. Dessa forma, a aplicação mínima inicial é de R$ 1 mil.

A principal vantagem da tese e dessa estrutura que montamos é facilitar o acesso aos ativos da carteira, assim como adicionar à composição do fundo a curadoria de ativos da Empiricus e da Vitreo, antecipando para o investidor tokens com alto potencial de valorização. No momento em o Ibovespa acumula cinco meses de quedas consecutivas, os fundos trazem perspectivas de bons retornos para o investidor”, explicou Jojo Wachsmann, sócio da Vítreo.  

Atualmente, a família de fundos da casa estão voltados aos ativos digitais somando nove produtos – isso agrega ao portfólio da Vítreo, ampliando a diversidade de ativos do segmento.

Estes são testes de investimentos que aplicam em diferentes criptoativos e segmentos específicos como um DeFi, ou seja, de finanças descentralizadas, NTFs e de Smart Contracts.

Entre os ativos deste novo lançamento temos o Ethereum, que é um criptoativo faz parte dos universo dos Smart contracts.

“Dentro do universo de cripto, essa é uma tese que usa a tecnologia do blockchain para registro de contratos. Seria o fim dos cartórios. A rede guarda todo o histórico de transações e é um caminho, para o usuário, muito mais seguro que o cartório”, resumiu Wachsmann.

O sócio da empresa acredita que esse mercado se desenvolva em menos de 5 anos, por conta da pandemia muitas coisas mudaram, assim como as assinaturas de cartório que acabou não sendo mais necessário ir presencialmente para fazer a assinatura.

O que são os smartcoins?

Os smartcoins possuem em si protocolos automatizados que produzem contratos inteligentes.

Os protocolos podem ser usados para validar as transações de forma automática. Ao realizar a compra de um item como um NFT, por exemplo, ou na negociação de um ativo descentralizado de DeFi não é necessário mediador para que essas transações sejam realizadas.

A validação e confirmação é realizada pela própria rede por meio do cruzamento de dados.

As smartcoins podem ser usadas para automatizar diversos processos, tornando tudo mais dinâmico, o que é essencial para os “novos tempos”. 

Assim, o Coin Smart se une ao grupo de fundos em criptomoedas da Vitreo, ao lado da Cripto NFT e o Vitreo Coin NFT,  que foram lançados em outubro.

Metaverso

Além desses lançamentos realizados pela empresa, a Vitreo está preparando um lançamento de fundo para investir nas criptomoedas do metaverso, que ganhou popularidade após a mudança no nome da empresa Facebook para Meta.

Essas criptomoedas sobreviveram à queda do Bitcoin (BTC), que aconteceu na última semana e acabaram dobrando de valor após sete dias. 

Vitreo 

A empresa Vitreo é uma gestora digital que tem como principais sócios Patrick O’Grady, Alexandre Aoude e Paulo Lemann. O propósito da empresa é mudar a relação que as pessoas têm com seus investimentos, utilizando a tecnologia para garantir uma jornada fácil, personalizada e transparente. 

A empresa começou em outubro de 2018 e possui atualmente fundos de investimento, um fundo de fundos de previdência, um fundo de fundos multimercado e um fundo multimercado e outros novos devem ser lançados futuramente pela empresa.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.