Sancionado! Auxílio emergencial de Belo Horizonte vai pagar R$ 400

Novo auxílio emergencial é aprovado em Belo Horizonte. Nessa semana, o prefeito Alexandre Kalil sancionou a Lei 11.314/21 que valida a concessão de um abono social para as famílias vulneráveis. O pagamento mensal será de R$ 100 e R$ 400, concedido por um semestre. Acompanhe.

Sancionado! Auxílio emergencial de Belo Horizonte vai pagar R$ 400 (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
Sancionado! Auxílio emergencial de Belo Horizonte vai pagar R$ 400 (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

Diante do clima de instabilidade com relação a permanência do auxílio emergencial, a prefeitura de Belo Horizonte anunciou que irá conceder seu próprio abono. O benefício será destinado para as famílias em situação de vulnerabilidade, contando com um investimento de R$ 70 milhões.

Como vai funcionar o auxílio emergencial de BH?

De acordo com os informativos da prefeitura a concessão ficará para as famílias que vivenciem uma condição de extrema pobreza, dando prioridade para os alunos matriculados na rede pública de ensino. O valor é de até R$ 400 por mês, sendo liberado em seis rodadas.

A previsão é de que cerca de 380 mil pessoas sejam contempladas. Para saber se foi incluso ou não no projeto é preciso acessar o site da PBH. Os cidadãos devem ainda ficar atentos as suas informações no cadastro único, mantendo os dados atualizados para garantir a concessão.

Quem terá direito de receber o auxílio financeiro em Belo Horizonte?

  • Trabalhadores informais que atuam nos bastidores e palcos, artistas e coletivos da cultura popular cadastrados na Secretaria Municipal de Cultura;
  • Carroceiros cadastrados na Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans);
  • Autorizatários e trabalhadores do serviço de transporte escolar cadastrados na BHTrans;
  • Catadores de materiais recicláveis; entre outros grupos em situação de vulnerabilidade social;
  • Pessoas com doenças raras atendidas pelo Programa Superar e cadastradas na Secretaria Municipal de Esporte e Lazer;
  • Pessoas com doenças raras licenciadas pela Secretaria Municipal de Política Urbana para exercerem atividade comercial em logradouro;
  • Pessoas que vivem em situação de rua, desde cadastradas pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania ou programa equivalente.

Confira as modalidades do auxílio:

  • Subsídio de R$ 600 por família, disponibilizado em seis parcelas mensais e consecutivas de R$ 100;
  • Subsídio de R$ 100 mensais por família com estudante matriculado na rede municipal de educação, disponibilizado até a regularização da oferta da alimentação escolar;
  • Subsídio de R$ 600 por família em situação de pobreza, disponibilizado em seis parcelas mensais e consecutivas de R$ 100;
  • Subsídio de R$ 1.200 por família em situação de extrema pobreza, disponibilizado em seis parcelas mensais e consecutivas de R$ 200.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA