Nova estimativa do salário mínimo vai mudar pagamento mínimo e máximo do INSS

Governo federal anuncia reajustes no salário mínimo. Na última quinta-feira (16), o ministro da economia, Paulo Guedes, informou que devera aumentar a previsão do piso nacional com base em uma nova inflação. Atualmente seu valor é de R$ 1.100, mas com o crescimento da inflação ele deverá ficar em torno de R$ 1.192 em 2022.

Nova estimativa do salário mínimo vai mudar pagamento mínimo e máximo do INSS (Imagem: Portal FGV)
Nova estimativa do salário mínimo vai mudar pagamento mínimo e máximo do INSS (Imagem: Portal FGV)

Apesar de ainda estar em 2021, o trabalhador brasileiro já passa a se preocupar com seu futuro econômico. De acordo com as últimas informações liberadas pelo governo federal, o salário mínimo do próximo ano ficará em torno de R$ 1.192.

A quantia, no entanto, é cinco vezes menor que o necessário para sustentar uma família de 4 pessoas, afirmam as pesquisas.

Previsão do novo salário mínimo

Segundo a equipe econômica federal, o reajuste foi feito com base nos indicativos da inflação. Para determinar o piso nacional, o governo recorre ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Até o momento seu rendimento está R$ 23,4 acima da expectativa dos gestores federais.

Caso a previsão seja confirmada, o piso nacional muda de R$ 1.100 para R$ 1.192, inicialmente ele estava estimado em R$ 1.169. É válido ressaltar que esses números podem ser novamente modificados a depender dos desdobramentos econômicos e políticos do país.

O que muda no INSS com o novo salário mínimo?

A alteração no piso nacional impacta não só o salário do trabalhador, como também os benefícios sociais concedidos pelo governo.

Todos os pagamentos do INSS são determinados por essa quantia, o que significa dizer que R$ 1.192 passará a ser o valor mínimo repassado pela previdência.

Para quem tem ganhos superiores, que chegam ao teto do INSS, o valor em 2022 será de no máximo R$ 6.973,99. Essa quantia se aplica principalmente às aposentadorias.

Além disso, o seguro desemprego, férias trabalhistas e abono salarial também serão recalculados a partir do novo valor. Isso justifica o motivo pelo qual o governo federal vem tido tanta resistência para fazer uma mudança que gere impacto real no bolso da população.

A cada R$ 1 acrescentado no salário mínimo, a União passa a ter uma nova despesa de bilhões. Questionado sobre a insignificância do novo piso nacional, Guedes afirmou que a crise econômica não é tão grave e que muitos brasileiros foram beneficiados pela pandemia do novo coronavírus.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA