Taxa de importação do óleo, milho e soja ficam suspensas; o que muda nas compras?

Governo anuncia alteração nas taxações tributárias para o setor de alimentos. Nessa semana, o Ministério da Agricultura informou que estará suspendendo a alíquota para os países fora do Mercosul que comparem milho, soja, óleo e farelo. A justificativa adotada foi a contenção dos preços internos, que atualmente registram elevações constantes. Entenda os impactos no mercado.

Taxa de importação do óleo, milho e soja ficam suspensas; o que muda nas compras? (imagem: amazonas atual)
Taxa de importação do óleo, milho e soja ficam suspensas; o que muda nas compras? (Imagem: Amazonas Atual)

Novidades para o pequeno, médio e grande agricultor. O governo federal estará zerando as taxações tributárias de alguns produtos nacionais.

A intitulada Tarifa Externa Comum (TEC) passará a entrar em vigor com validação até o dia 31 de dezembro, o que significa que países como os Estados Unidos passarão a comprar por um valor mais baixo.

O que muda nas compras?

De modo geral, significa que o valor dos produtos para quem for adquirir fora do país será menor. Sem as alíquotas, a comercialização internacional ficará mais barata, o que não significa um benefício efetivo para o agricultor.

De acordo com o Ministério da Agricultura, a primeira isenção tem uma expectativa de estabilizar o valor da safra grão, gerando produção o suficiente para reequilibrar a oferta e a demanda.

“Porém, as cotações internacionais tiveram comportamento de alta, pressionando ainda mais os preços internos”, afirmou a pasta.

“Além do cenário de preços não ter se confirmado, apesar da safra recorde de 109 milhões de toneladas de milho e 135,5 milhões de toneladas de soja, os preços internos seguiram em alta em virtude da forte demanda externa e da manutenção da desvalorização do real frente ao dólar”, acrescentou o ministério citando projeções da estatal Conab.

Diante da crise do novo coronavírus, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) recorreu ao Ministério da Agricultura, ainda no início de abril, solicitando apoio para que as taxas fossem minimizadas de modo que ampliasse a circulação dos produtos.

Após semanas em debate e análise, a proposta foi aceita. Desse modo, a consultoria IHS Markit reduziu em 4,6 milhões de toneladas sua projeção para a produção total de milho no Brasil, a 104 milhões de toneladas.

 

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.