Pensando em financiar imóvel? Veja dois motivos que devem encarecer valor

Durante o ano passado, o setor imobiliário apresentou aumento nas vendas, apesar das dificuldades impostas pela pandemia de covid-19. Para este ano, a perspectiva pode mudar para quem pensa em financiar imóvel. Esta mudança seria devido a alguns fatores que devem fazer com os valores estejam maiores.

Pensando em financiar imóvel? Veja dois motivos que devem encarecer valor
Pensando em financiar imóvel? Veja dois motivos que devem encarecer valor (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Em 2020, o mercado imobiliário teve alta de 9,8% nas vendas de empreendimentos, em comparação a 2019, segundo levantado pela Câmara Brasileira de Indústria e Construção Civil (CBIC).

Com relação aos valores do ano passado, o CBIC indicou que o aumento nas aquisições teve influência pelo ambiente de juros baixos e maior incentivo à compra de imóveis para moradia ou investimentos.

para este ano, a CBIC diminuiu a expectativa de vendas e lançamentos. A projeção mudou de alta de 10% para estabilidade, em comparação ao ano passado.

Motivos que podem encarecer valor para quem pensa em financiar imóvel

Alguns motivos podem ter feito com que a perspectiva de vendas para o mercado imobiliário tenha apresentado queda. A motivação possui relação com o aumento nos valores.

Um fator que contribui para o encarecimento dos valores nos imóveis é a alta do dólar. Esta moeda tem impacto no custo de matérias-primas. Segundo indicado pelo O Globo, o aumento médio foi de 15% a 20% nos últimos 12 meses.

Alguns dos itens que tiveram aumento foram o cobre, com alta acima de 200%; e o aço, com alta de 70% no período.

De acordo com o economista do DataZAP, Danilo Igliori, ao O Globo, os financiamentos devem ficar mais caros por conta da alta da taxa Selic. Esta estimativa seria percebida a médio e longo prazo.

Depois de seis anos sem mudança, o Banco Central (BC) anunciou o aumento da taxa Selic, de 2% para 2,75%. Esta decisão foi tomada em março. Mesmo com esta alta recente, a taxa básica de juros deve seguir em crescimento. Em maio, um novo aumento de 0,75 ponto percentual deve ocorrer.

Por conta deste fator, especialistas entendem que o juro maior tende a diminuir a busca por financiamento ao longo do ano. Como resultado, o ciclo de recordes seria encerrado.

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.