Financiamento usando o Casa Verde e Amarela pode ganhar novo teto em breve

O aumento nos preços de artigos de construção, juntamente com a alta nos juros e a vacinação contra o coronavírus a passos lentos, indicam um sinal amarelo para o mercado imobiliário. Construtoras relatam que já há pressão do setor para que o governo aumente o teto do Casa Verde e Amarela.

Financiamento usando o Casa Verde e Amarela pode ganhar novo teto em breve
Financiamento usando o Casa Verde e Amarela pode ganhar novo teto em breve (Foto: Reprodução Google)

A CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) diminuiu a expectativa de vendas e lançamentos de alta de 10% para estabilidade em comparação com 2020, quando foram anunciadas 152 mil novas unidades residenciais.

O dólar alto impacta fortemente no custo de matéria-prima. Nos últimos 12 meses, o aumento médio nos preços foi de 15% a 20%. As construtoras apontam itens como cobre, que subiu mais de 200% no período, aço (com alta de 70%) e cimento (45%), entre outros.

“Se tivermos o mesmo número de 2020 será ótimo. A vacinação não avança. Estamos num cenário de alta nos custos e de risco de desabastecimento. Já criamos fóruns regionais para entender o motivo de produtos como aço e cobre não estarem chegando nas empresas”, disse o presidente da Comissão de Indústria Imobiliária da Cbic, Celso Petrucci.

De acordo com a FipeZap, para este ano é esperado um aumento de até 6% no preço dos imóveis. Esta porcentagem é mais forte que a projeção de inflação para este ano, de 4,81%, segundo o boletim Focus. Em 2020, os preços de vendas de casas no país cresceram 3,7%.

Danilo Igliori, economista do DataZAP, avalia que os financiamentos devem encarecer com o avanço da taxa Selic a médio e longo prazos. O Banco Central elevou a taxa de 2% para 2,75% ao ano e indicou novo aumento de igual magnitude (0,75 ponto percentual) para o mês que vem.

Os especialistas acreditam que o juro alto pode diminuir a demanda por financiamentos ao longo de 2021 e causar o fim do ciclo de recordes. 

Nos meses de janeiro e fevereiro, uma alta de 77% foi registrada na compra de imóveis financiados em comparação com o primeiro bimestre de 2020, para 74,3 mil imóveis, de acordo com dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.