Salário mínimo justo para famílias brasileiras seria maior que R$5,4 MIL, diz Dieese

Uma estimativa feita pelo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) aponta que uma família composta por dois adultos e duas crianças deveria receber o salário mínimo de R$ 5.495,52, ao invés dos atuais R$ 1,1 mil oferecidos. O valor estimado é cinco vez maior que o atual.

Salário mínimo justo para famílias brasileiras seria maior que R$5,4 MIL, diz Dieese
Salário mínimo justo para famílias brasileiras seria maior que R$5,4 MIL, diz Dieese (Imagem: Reprodução / Google)

O levantamento tem como base o valor da cesta básica mais cara do Brasil, que foi registrada em São Paulo Capital, custando R$ 654,15.

Em 11 das 17 capitais analisadas pela pesquisa, a cesta básica custa mais da metade do salário mínimo atual, com exceção de Belém, Salvador, Recife, João Pessoa, Natal e Aracaju.

“Quando se compara o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o
desconto de 7,5% para a Previdência Social, verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em janeiro, na média, 54,93% do salário mínimo líquido (reajustado em janeiro) para comprar os alimentos básicos para uma pessoa adulta. Em dezembro, o percentual foi de 56,57%”, explica a pesquisa.

De acordo com o levantamento, em um mês, o preço das cestas básicas aumentou em 13 das 17 capitais pesquisadas. Florianópolis (5,82%), Belo Horizonte (4,17%) e Vitória (4,05%) registraram as maiores altas contra Natal (-0,94%), João Pessoa (-0,70%), Aracaju (-0,51%) e Fortaleza (-0,37%), que registraram as menores.

As principais variações apresentadas pelo Dieese foram do valor do açúcar, com destaque para Florianópolis (12,58%), Campo Grande (11,44%) e João Pessoa (7,19%); da banana prata e nanica, com destaque para Florianópolis (20,70%), Goiânia (12,50%) e Brasília (11,76%); e da carne bovina, que variou de 0,17%, em João Pessoa, a 6,00%, em Curitiba.

Dados registrados relativos a capital paulista:

  • Valor da cesta: R$ 654,15.
  • Variação mensal: 3,59%.
  • Variação no ano: 3,59%.
  • Variação em 12 meses: 26,40%.
  • Produtos com alta de preço médio em relação a dezembro de 2020: tomate (23,04%), batata (8,53%), açúcar refinado (6,87%), banana (3,96%), farinha de trigo (2,14%), carne bovina de primeira (1,55%), manteiga (0,75%), óleo de soja (0,37%) e leite integral (0,19%).
  • Produtos com redução de preço médio em relação a dezembro de 2020: café em pó (-3,14%), feijão carioquinha (-0,85%), arroz agulhinha (-0,21%) e pão francês (-0,14%).
  • Jornada necessária para comprar a cesta básica: 130 horas e 50 minutos.
  • Percentual do salário mínimo líquido gasto para compra dos produtos da cesta para uma pessoa adulta: 64,29%.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Isabela Veríssimo
Isabela Veríssimo é jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) com passagens por redações, desde 2016, como o Diario de Pernambuco, Jornal do Commercio e Rede Globo. Atualmente dedica-se à redação de economia do portal FDR.