Dólar abre o dia em queda sendo negociado a R$5,39; confira os destaques da manhã

Pela manhã desta segunda-feira (16), o valor do dólar esteve em queda. Por volta das 9h38, a moeda norte-americana apresentou a cotação a R$ 5,39 na negociação. A variação foi negativa em 1,21%. Na sexta-feira (13), o pregão havia indicado redução de 0,05%, com valor de R$ 5,475. Um dos principais pontos de atenção aos investidores foi o resultado positivo da produção industrial da China.

Dólar inicia o dia em queda de 0,05%, sendo negociado a R$5,39
Dólar inicia o dia em queda de 0,05%, sendo negociado a R$5,39 (Imagem: John Guccione/Pexels)

Durante o dia de hoje, a variação do dólar americano foi de R$ 5,3662 a R$ 5,4585. Às 10h40, o valor da compra esteve em R$ 5,4115 e, na venda, valor foi de R$ 5,4142. Com relação ao índice futuro do dólar para dezembro, o valor esteve em alta de 0,10%, aos 92,828 pontos.

Índices nacionais

Por volta das 10h13, os índices no Brasil apresentaram alta. O Ibovespa registrou variação positiva de 1,39%, aos 106.176,84 pontos. O IBrX 100 aumentou em 1,32%, aos 45.052,97 pontos. Já o IBrX 50 teve crescimento ainda maior, de 1,40%. A pontuação foi de 17.401,76.

Índices Internacionais

No Reino Unido, o FTSE 100 teve alta de 2,14%, aos 6.451,35 pontos. O alemão DAX apresentou crescimento de 1,21%, aos 13.235,20 pontos. Na Austrália, o S&P/ÃSX 200 registrou aumento de 1,23%, aos 6.484,30 pontos. Na China, o índice Shanghai teve alta de 1,11%, aos 3.346,97 pontos.

Produção industrial da China

Uma das principais do mundo, a China apresentou grande avanço na produção industrial. De acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas da China (NBS, pela sigla em inglês), em outubro, foi indicado crescimento de 6,9%.

O The Wall Street Journal, por meio de informações de economistas, havia indicado uma previsão de aumento de 6,5%. Com isso, o país asiático esteve com resultados melhores que o esperado, apesar das dificuldades encontradas este ano, por causa da pandemia de coivd-19.

Na comparação anual, as vendas no varejo tiveram aumento de 4,3%. Com relação às vendas de automóveis, o crescimento foi ainda maior. A alta foi de 12,5%, com destaque para os veículos elétricos.

Além disso, o investimento fixo ativo, nos meses de janeiro a outro deste ano, indicou alta de 1,8%, comparado ao mesmo período do ano passado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA