Sem prorrogação do seguro desemprego, quantas parcelas cada cidadão recebe?

Governo reprova a extensão do seguro desemprego para cerca de 3 milhões de brasileiros. Após semanas de debates, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) informou que não poderá conceder as parcelas extras para os cidadãos desempregados em 2020. A proposta estava em análise entre os representantes políticos, mas foi negada diante da falta de orçamento público.  

Sem prorrogação do seguro desemprego, quantas parcelas cada cidadão recebe? (Imagem: Google)
Sem prorrogação do seguro desemprego, quantas parcelas cada cidadão recebe? (Imagem: Google)

Com a chegada da crise econômica motivada pelo covid-19, o número de desemprego no país vem registrando uma das maiores altas de sua história.

Para poder minimizar os efeitos de tal situação, o Codefat sugeriu que houvesse um reajuste na quantidade de parcelas do seguro desemprego.

A ideia é que os trabalhadores tivessem acesso a mais duas rodadas extras. No entanto, a medida só seria válida para quem foi demitido sem justa causa entre os meses de março a julho. Inicialmente o governo teria aprovado, mas após uma análise orçamentária o projeto foi negado.  

Quantas parcelas permanecem e qual o valor? 

Diante de tais mudanças, muitos trabalhadores estão com dúvidas quanto ao valor final que lhe será concedido. Segundo as atuais regras do seguro desemprego, o cidadão tem direito entre três e cinco parcelas.

A definição exata leva em consideração uma série de fatores, como o tempo de serviço prestado, vezes que solicitou o benefício e valor dos últimos salários pagos.  

  • 03 parcelas se comprovar, no mínimo, 06 meses trabalhados;
  • 04 parcelas se comprovar, no mínimo, 12 meses trabalhados;
  • 05 parcelas a partir de 24 meses de trabalho.

Tabela do seguro desemprego 2020 

Enquanto isso, o valor é calculado com base na média salarial das três últimas remunerações registradas em folha. Aplica-se o valor dessa média na seguinte tabela:

Faixa de salário médio  Forma de cálculo 
Até R$ 1.599,61  Multiplica-se o salário médio por 0,8 (80%) 
De R$ 1.599,62 até R$ 2.666,29  A média salarial que exceder a R$ 1.599,61 multiplica-se por 0,5 (50%) e soma-se a R$ 1.279,69 
Acima de R$ 2.666,29  O valor da parcela será de R$ 1.813,03 invariavelmente 

O valor mínimo a ser recebido é de um salário mínimo, o que atualmente equivale a R$1.045.

Extensão contemplaria milhares de pessoas  

Caso tivesse sido aprovada, a extensão do seguro deveria ajudar cerca de 2,76 milhões de brasileiros, com o um custo total de R$ 7,3 bilhões para o governo federal.

De acordo com o projeto elaborado pelo Codefat, teriam acesso somente quem foi demitido entre 20 de março e 31 de julho de 2020, podendo receber até o mês de dezembro. 

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.