Dólar abre o dia em queda de 0,45% sendo negociado a R$5,58; confira detalhes

O dólar abre o dia em queda nesta quarta-feira (21), com o mercado de olho no acordo entre a Casa Branca e os democratas sobre o pacote de estímulos trilionário dos EUA. Por volta das 9h20, a moeda norte-americana operava em queda de 0,45, sendo negociado a R$ 5,58.

Dólar abre o dia em queda de 0,45% sendo negociado a R$5,58
Dólar abre o dia em queda de 0,45% sendo negociado a R$5,58 (Imagem: Reprodução/Google)

Cenário internacional

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a pressionar por um pacote de estímulos como alívio aos impactos econômicos causados pela Covid-19 e afirmou que aceitaria um acordo em valor superior a US$ 2,2 trilhões, mesmo com a oposição de seus colegas republicanos no Senado.

Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados norte-americana, disse nesta última terça-feira (20) que há esperanças de que o pacote de auxílio seja alcançado antes das eleições presidenciais, que ocorre dia 3 de novembro e que ‘esse é o plano’, sem entrar em detalhes sobre suas recentes negociações com Steven Mnuchin, representante da Casa Branca.

“Desde domingo, temos feito algum progresso no estabelecimento de áreas de acordo e desacordo a fim de decidir como podemos chegar a um compromisso. O prazo de hoje permitiu-nos ver que as decisões podem ser alcançadas, demonstrando que ambos os lados levam a sério a busca de um compromisso”.

Na Europa, após a Irlanda decretar um segundo lockdown, a Espanha também estuda um novo toque de recolher para contar uma possível segunda onda de contágio do vírus. Desde o início da pandemia foram registrados 988 mil casos de infecções e 34 mil mortes na Espanha.

O toque de recolher já vem sendo utilizado atualmente na França. Oito regiões metropolitanas, incluindo a da capital Paris, estão sob toque de recolher obrigatório desde sábado (17). A medida vale para todos os dias, com duração das 21h às 6h e faz parte do estado de urgência anunciado para todo o país.

Destaque nacional

No cenário local, a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac está no radar dos investidores. O governo federal anunciou nesta terça-feira (20) que comprará doses do imunizante produzido pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinova. Com isso, o Estado deve editar uma nova Medida Provisória para disponibilizar R$ 2,6 bilhões até janeiro.

A CoronaVac ainda está em fase final de testes e sua eficácia precisa ser comprovada antes que a Anvisa libere o seu uso. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou que quando for aprovada, a vacina será distribuída a todo o Brasil através do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Porém, na manhã desta quarta-feira (21) o presidente Jair Bolsonaro desautorizou o Ministério da Saúde e afirmou que o governo não irá comprar vacinas produzidas pela China.

Última cotação do dólar

Na última sessão desta terça-feira (20), o dólar encerrou em alta de 0,12% frente ao real, sendo negociado a R$ 5,61.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.