A Loterias Caixa completam 58 anos de história em 2020, além de mudar a vida de milhões de pessoas com os prêmios, a empresa também investe bilhões reais todos os anos na esfera pública.

publicidade
Loterias Caixa completam 58 anos de prêmios e realização de sonhos
Loterias Caixa completam 58 anos de prêmios e realização de sonhos. (Imagem: Montagem/FDR)
publicidade

Certificação Internacional de Jogo Responsável

O setor de aposta além de ser muito lucrativo também pode trazer inúmeros malefícios quando realizado sem ética ou legalidade.

É por isso que associações internacionais de loterias tentam autorregular e validar o trabalho de loterias ao redor do mundo,

Em agosto as Loterias Caixa receberam novamente o seu certificado nível 3 de Responsive Gaming Framework (RGF) pela WLA (World Lottery Association – Associação Mundial de Loterias.

Conheça a Milionária. nova loteria com 5 faixas de premiação!

Loterias Caixa completam 58 anos

É desde 15 setembro de 1962 que a Caixa cumpre a responsabilidade de administrar as loterias federais.

Naquela época já se percebia que o setor poderia representar uma excelente fonte de receita e financiar áreas importantes.

Educação, saúde, cultura, esporte, segurança e previdência social são apenas algumas áreas sociais que recebem investimentos frutos das nossas apostas.

Somente neste ano o total arrecadado pela loteria já ultrapassa os R$ 10 bilhões e quase 50% foi destinado às áreas citadas.

Vem aí o Super Sete!

Em comemoração ao seu aniversária, as Loterias anunciarão nos próximos dias o “Super Sete”, uma nova modalidade de aposta.

Atualmente as Loterias possuem 10 modalidades diferentes de apostas em seu portfólio, a função dos novos produtos é justamente aumentar a atratividade da Loteria.

Aniversário pode vir em momento final do monopólio

O Supremo Tribunal Federal deverá analisar ainda em setembro, a questão do monopólio das Loterias Federais.

Diferente da desestatização do setor que permitiria a entrada de empresas privadas neste mercado, a ação permitiria que cada estado explorasse loterias.

A ação foi movida pelo ex-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. Foi Luiz Fux, presidente da Corte, que definiu o assunto para votação neste semestre.

Foi no mesmo ano da cassação do mandato de Pezão, 2017, que o Ministério da Fazendo determinou o fim da Loteria Estadual do Rio de Janeiro (LOTERJ).

Na época o governo alegou perdas de R$ 20 milhões em receita anual. A procuradoria do estado (PGE-RJ) questionou a medida e entrou com a ação no STF.

A procuradoria usou como base da ação o Decreto-Lei de 1967 que mantinha o número de loterias estaduais e as suas emissões de bilhetes.

Além da Loterj, outras loterias estaduais também estão suspensas por falta de uma legislação clara neste sentido.

Sandro Messa possui bacharelado em Ciências e Humanidades e Ciências Econômicas pela Universidade Federal do ABC (UFABC). No mercado de trabalho, tem passagem pelo Banco Mercantil do Brasil, como gerente de relacionamento. Atuou também como assessor de investimentos no Itaú Personnalité e na XP Investimentos. Atualmente, trabalha como Consultor Financeiro e dedica-se à redação do portal FDR.