Caixa Tem: Aprenda a transferir o FGTS e auxílio emergencial para a conta que desejar

PONTOS CHAVES

  • O Caixa Tem foi criado para que os brasileiros pudessem administrar o saldo do seu auxílio emergencial e FGTS
  • O pagamento é realizado pelo aplicativo e pode ser transferido
  • Os trabalhadores devem se atentar ao calendário para poder fazer a transferência

O aplicativo do Caixa Tem foi criado para a realização do pagamento do Auxílio Emergencial, mais tarde a Caixa Econômica e o governo federal decidiram usar o mesmo canal para depósito do FGTS emergencial. Ele pode ser baixado para android no Play Store, e para Iphone na Apple Store.

Caixa Tem: Aprenda a transferir o FGTS e auxílio emergencial para a conta que desejar
Caixa Tem: Aprenda a transferir o FGTS e auxílio emergencial para a conta que desejar (Foto:Google)

A transferência pode ser realizada por meio de DOC, sem cobrança de taxa, e o cidadão pode enviar dinheiro para bancos físicos tradicionais ou digitais.

De acordo com a Caixa os usuários da conta Poupança Social Digital podem fazer transferências ilimitadas para contas da Caixa, e até três transações mensais para outros bancos, com o limite de R$ 600 por movimentação e de R$ 1 mil por dia.

Pelo aplicativo do Caixa Tem os usuários ainda podem acessar informações sobre o Abono Salarial do PIS, e o Seguro-Desemprego.

Auxílio Emergencial

Caixa Tem: Aprenda a transferir o FGTS e auxílio emergencial para a conta que desejar
Caixa Tem: Aprenda a transferir o FGTS e auxílio emergencial para a conta que desejar (Imagem: Reprodução Google)

O auxílio emergencial é uma ajuda do governo para os trabalhadores informais, autônomos, desempregados, microempreendedores individuais e pessoas de baixa renda durante a pandemia do novo coronavírus.

Inicialmente o auxílio emergencial iria pagar apenas três parcelas de R$600, mas com a pandemia longe de acabar, o governo prolongou o pagamento do benefício por mais duas parcelas. 

O governo dividiu os beneficiários por lote e assim tem realizado o pagamento de acordo com o mês de aniversário dos inscritos. 

Os beneficiários do programa Bolsa Família são os únicos que já receberam quatro parcelas das cinco, pois seguem o calendário original do programa. 

FGTS

Poderão fazer os saques os trabalhadores que tenham contas ativas e inativas do FGTS, desde que possuam saldo positivo.

O valor máximo a ser retirado pelos trabalhadores só poderá ser de R$1.045, mesmo que ele tenha mais de uma conta. Ou, para quem possuí quantia menor, há a possibilidade de zerar o fundo. 

Os trabalhadores poderão utilizar o dinheiro para fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e QR Code. 

Além disso, poderá ser realizado o pagamento de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral.

Cartão de Débito Virtual

A Caixa informou que é  possível utilizar o cartão de débito virtual para movimentar o dinheiro do FGTS e do auxílio.

Com ele é possível realizar a compra pela internet em mais de mil sites e aplicativos, além de poder pagar contas de água e luz.

Para solicitar o cartão é preciso ter o aplicativo da Caixa tem. Após acessar, na tela inicial terá um ícone denominado “Cartão de Débito Virtual” e clicar, após isso, vai abrir uma página como se fosse uma troca de mensagem.

É só clicar na opção “Usar agora meu Cartão de Débito Virtual”. O aplicativo vai solicitar a senha de acesso que você cadastrou para entrar no aplicativo.

Ao informar a senha, aparecerá uma imagem com as informações do seu cartão, como número, nome, validade e código de segurança. Basta digitar corretamente conforme orientação da loja.

Sou obrigada a sacar o dinheiro?

Não. No aplicativo do FGTS terá a opção para aqueles que não desejam sacar o FGTS. Essa comunicação para a Caixa deve acontecer 10 dias antes da data que o crédito vai ser depositado na poupança social, que será aberta para todos os participantes do fundo. 

Caso o trabalhador perca o prazo, esse crédito vai ser depositado, mas ainda assim é possível pedir pelo aplicativo o desfazimento do depósito. 

Ao fazer essa solicitação, os valores retornarão à conta do FGTS devidamente corrigidos. Isso, pois a rentabilidade do FGTS é de 3% ao ano. 

Se o desfazer do depósito não for realizado, o dinheiro permanecerá na conta social até o dia 30 de novembro de 2020. 

Depois dessa data, o valor será devolvido à conta do fundo com a devida remuneração no período. 

Como transferir o dinheiro no Caixa Tem?

  1. Entre no aplicativo Caixa Tem e selecione a opção “Transferir dinheiro”, que fica no menu principal;
  2. Ao clicar será aberto um chat automático para fazer a transação;
  3.  Escolha se deseja digitar o número da agência e conta, ler um QR Code com as informações bancárias ou usar dados já salvos;
  4. Escolha o banco desejado entre as opções da lista. Depois, digite o número da agência e envie a mensagem;
  5. Escreva o número da conta e depois informe o dígito, quando for solicitado no chat;
  6. Escolha o tipo de conta de destino e digite o número do CPF do destinatário;
  7. Digite o nome da pessoa e envie na conversa. Depois, digite o valor que será transferido;
  8. Confirme o prazo de envio e confira os dados da transferência. Caso esteja tudo correto, toque em “Sim”;
  9. Depois digite sua senha de acesso ao aplicativo Caixa Tem e avance. Pronto. O dinheiro foi transferido;
  10. Clique em “Comprovante” para receber o documento no chat. Abra o item e toque no ícone de compartilhamento para salvar no celular ou para enviar para um contato.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.