Prorrogação do auxílio emergencial no valor de R$600 será VETADO, diz Bolsonaro

Jair Bolsonaro afirmou que vai vetar as parcelas extras do auxílio emergencial caso o Congresso fixe o valor delas em R$600, ao invés dos R$300 que foram propostos pelo Executivo. A prorrogação do auxilio acontece em decorrência do avanço da pandemia do coronavírus.

Prorrogação do auxílio emergencial no valor de R$600 será VETADO, diz Bolsonaro
Prorrogação do auxílio emergencial no valor de R$600 será VETADO, diz Bolsonaro (Foto: Google)

O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer que as duas parcelas adicionais tenham o valor de R$600. Sobre os valores Bolsonaro diz que:

“Na Câmara, por exemplo… vamos supor que chegue uma proposta de duas (parcelas) de R$ 300. Se a Câmara quiser passar para R$ 400, R$ 500 ou R$ 600. Qual vai ser a decisão minha? Pra que o Brasil não quebre… se a gente pagar mais duas de R$ 600, vamos ter uma dívida cada vez mais impagável. É o veto!”, afirmou.

Criado para ajudar os trabalhadores informais e suas famílias, desempregados e pessoas afetadas pelo coronavírus, o auxílio emergencial começou os repasses no início da pandemia e tinha uma previsão inicial de realizar três pagamentos de R$600. Este dinheiro foi fundamental para muitas pessoas em todo o Brasil.

Devido o avanço da pandemia, a equipe econômica teve que refazer as contas e considerar o pagamento de duas parcelas extras, porém com valor menor, nesse caso, de R$300.

Bolsonaro alega que se o governo pagar duas parcelas extras no valor de R$600 cada, vai causar uma despesa adicional de R$100 bilhões. O presidente disse também que o país precisa ficar ligado no aumento das despesas para que não haja uma alta na taxa Selic.

“Se nós não tivermos cuidado, a Selic pode subir, volta a ser o paraíso dos rentistas, o Brasil, o que a gente chama de agiotagem legalizada. A taxa de juros sobe, e cada vez mais o que nós produzirmos de riqueza vai pra pagar juros da dívida. Ou seja, e a desgraça vem aí. Se o Brasil quebrar, pessoal, não tem pra ninguém. Não tem pra ninguém” disse o presidente.

A discordância sobre qual deve ser o valor das parcelas extras do auxilio emergencial é motivo de atritos entre Rodrigo Maia e Bolsonaro. Em entrevista, o presidente da Câmara defendeu que fosse mantido o valor de R$600 nas parcelas extras.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.