MEI: vale a pena regularizar os serviços durante a crise? Saiba aqui!

Nos últimos anos, a procura pela formalização através do MEI tem crescido consideravelmente. Atualmente, existem mais de 8 milhões de brasileiros que são registrados como Microempreendedores Individuais, e podemos dizer que esse número só aumenta.

publicidade
MEI: Confira 3 vantagens em regularizar os seus serviços
MEI: vale a pena regularizar os serviços durante a crise? Saiba aqui! (Foto: Google)
publicidade

Com a crise, por conta do coronavírus, mais e mais pessoas têm buscado essa opção. Por isso, resolvemos mostrar 3 vantagens em se formalizar. Veja abaixo:

  1. Baixo custo

O primeiro ponto é que não há custo inicial para abertura de CNPJ como MEI. Por esse motivo, aqueles que tem o desejo de se formalizar, precisam ter força de vontade e persistência.

Muitos acabam desistindo por conta da burocracia e todos os gastos e tributos a serem pagos. Justamente por isso, o MEI é tão procurado, pois não é necessária nenhuma taxa de imediato.

O microempreendedor precisará pagar uma taxa fixa mensal, mas que é muito acessível e que depende do tipo de atividade. Esse valor é referente à impostos e contribuição previdenciária e fica entre R$ 50 e R$ 60.

  1. Direitos previdenciários

Por pagar a taxa informada acima, o MEI passa a ter direitos previdenciários. São eles: auxílio-doença, aposentadoria por idade, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio-reclusão.

Esse é uma das grandes vantagens, pois muitos desistem de empreender e vivem apenas trabalhando pela CLT, justamente por receio de não ter acesso a esses direitos.

  1. Facilidade para conseguir crédito

Sendo MEI, as chances de conseguir crédito são muito maiores. Os microempreendedores passam a ter acesso a diversas ofertas de crédito e com taxas de juros muito abaixo do valor de mercado.

Normalmente, esses empréstimos são oferecidos por bancos públicos, como o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF).

Como se inscrever no MEI?

Verifique quais são as atividades permitidas para ser MEI e em seguida acesse o Portal do Empreendedor e inicie o seu cadastro.

Lembre-se de ter todos os documentos em mãos para facilitar o preenchimento das informações. Serão necessários os seguintes documentos:

  • Comprovante de Endereço da Empresa e da Residência.
  • Título de Eleitor.
  • Nº da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (se declarou nos últimos dois anos).
  • Consulta prévia de localização aprovada (se o município exigir).

 

 

AvatarAmanda Castro
Amanda Castro é graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É responsável pela área de negócios, tráfego e otimização SEO do portal FDR. Além disso, é também redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, finanças e programas sociais.