publicidade

Com a pandemia do novo coronavírus, a economia foi uma das mais afetadas pelo fechamento obrigatório de empresas, escritórios e comércios não essenciais ao redor do país, tudo para barrar a propagação do Covid-19. Com isto, dados do Ministério da Economia divulgado nesta quarta-feira (27) pontuam que o número de vagas de emprego que foram fechadas foi uma das maiores em anos. Em números, foram 1,1 milhão entre os meses de março e abril.

Crise: Vagas de emprego diminuem em 2020 com maior índice em 29 anos (Reprodução/Internet)
Crise: Vagas de emprego diminuem em 2020 com maior índice em 29 anos (Reprodução/Internet)
publicidade

Estes são os primeiros dados que são compartilhados sobre o real impacto na economia provocado pela pandemia. Informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do governo federal.

Com este cenário de crise em diversos setores, é considerável que os impactos sejam observados nos empregos. Em março, já no início da pandemia, foram fechadas 240.702 vagas formais no país.

No mês seguinte, em abril, mais empresas fecharam o recrutamento de novos profissionais, totalizando 860.503 postos fechados. O número não era registrado desde 1992, quando os dados começaram a ser coletados.

O que aconteceu em abril representa a maior demissão registrada em 29 anos, com 1.459.099 postos de empregos sendo encerrados. Já as contratações para o mesmo período foram baixas, 598.596 no total.

Quando comparado aos meses anteriores, janeiro e fevereiro deste ano foram registrados, respectivamente, abertura de 113.155 e de 224.818. Análise do governo é que estes números destacam os impactos da pandemia.

Em 2020, o total de vagas de emprego formais fechadas soma 5.763.213, já o de contratados com carteira assinada, 4.999.981 trabalhadores. Este é o pior número de demissões em 11 anos até o momento.

Já por setores, o de serviços foi o mais impactado no mês de abril, com o fechamento de -362.378 empregos, seguido pelo comércio que fechou -230.209 vagas no mês. A industria fica em terceiro com 195.968 e construção em quarto com -66.942 empregos.

Em um cenário de dados regionais, o maior impacto é no sudeste onde 448.603 vagas foram fechadas. Em seguida, nordeste com -190.081 registradas dos meses de janeiro a abril em todo o país.

COMENTÁRIOS

Juan Gouveia, formado em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É redator do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, direitos trabalhistas e finanças diariamente.