Deputados discutem projeto que amplia auxílio emergencial mantendo os R$600

Novas mudanças podem ocorrer no repasse do auxílio emergencial. Uma das previsões atuais do governo federal é ampliar o repasse do benefício por mais meses, mas ainda há um impasse sobre o valor final das novas parcelas.

Deputados discutem projeto que amplia auxílio emergencial mantendo os R$600 (Reprodução/Internet)
Deputados discutem projeto que amplia auxílio emergencial mantendo os R$600 (Reprodução/Internet)

Na Câmara dos Deputados, os líderes dos partidos articulam votação para tentar garantir o mesmo valor dos R$ 600 das três primeiras parcelas e ampliação de forma considerável por mais alguns meses.

Em reportagem publicada pelo G1, os parlamentares detalharam que a expectativa é de realizar a construção do texto nas próximas semanas e iniciar a votação em plenário já nos meados de junho.

Em contraponto, governo federal detalhou que já está estudando a ampliação do benefício, mas o valor ainda não está definido. Expectativa do ministério da economia é de que seja no valor de R$ 200, ou use como parâmetro o que é repassado pelo Bolsa Família, salário em torno de R$187 por família.

O número de parcelas deverá ser de mais duas, como detalhou o presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira (22). Mas não foi confirmado, são previsões. Os complementos devem ser pagos nos meses de julho e agosto.

Por estas questões da agilidade por causa do repasse, os partidos têm corriqueiramente voltado a conversar sobre a prorrogação do benefício. Neste sentido, os projetos estão sendo observados pela Câmara.

Alguns estão com propostas ainda mais robustas das apresentadas pelo presidente, como o pagamento sendo aumentado por mais três meses ou até mesmo com as parcelas sendo usadas até o fim do ano.

Segundo alguns parlamentares o repasse do benefício do auxílio emergencial é considerado essencial. “Não fosse esse auxílio, estaríamos até vivendo riscos sociais, como saques”, avaliou o líder do Cidadania, Arnaldo Jardim (SP).

Já o líder do governo na Câmara, Vitor Hugo (PSL-GO), detalhou que as conversas na Câmara ainda estão no início e que será preciso analisar o impacto da medida. Isto porque, o governo já tem que ponderar os investimentos.

Atualmente, já foi anunciado mais de 1 trilhão de reais em medidas para tentar auxiliar as pessoas durante a crise e também manter os empregos. Segundo o parlamentar, é necessário “colocar tudo na ponta do lápis. Vamos ver como as conversas vão avançar“, afirmou.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

REDAÇÃO
Cobertura e repercussão de assuntos que impactam o bolso de todos os brasileiros. A redação do FDR.com.br traz diariamente assuntos relevantes de uma forma descomplicada e confiável.