Veja Também | FDR.TV


 

Ontem, quinta-feira (21), a Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia informou que o número de pedidos do seguro-desemprego teve uma alta de 76,2% na primeira quinzena de maio, se comparado com o mesmo período em 2019. Ao todo, foram 218.041 pedidos a mais. 

CRESCE em mais de 70% o número de pedidos do seguro desemprego em maio
CRESCE em mais de 70% o número de pedidos do seguro desemprego em maio (Imagem: Montagem/FDR)
publicidade

De acordo com a secretaria, foram realizados 504.313 pedidos para o seguro-desemprego na primeira quinzena desse mês.

Em maio do ano passado, 2019, foram registrados 286.272 requerimentos. Com relação à segunda quinzena de abril, houve um aumento de 4,9%.

Esse crescimento nos pedidos acontece em meio a pandemia que está instalada pelo coronavírus.

Do mês de janeiro até a primeira quinzena deste mês, foram feitos 2,841 milhões de pedidos do seguro desemprego. Um aumento de 9,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram realizados 2,592 milhões de pedidos.

Por meio de nota, a Secretaria de Trabalho disse que estima que até 250 mil pedidos ainda devem ser feitos nos meses seguintes, por não poderem ter sido feitos de forma presencial. Isso porque, o trabalhador formal que tem direito ao seguro desemprego tem até 120 dias para solicitar o salário de auxílio.

Atualmente, é possível solicitar o seguro-desemprego pelo aplicativo Carteira Digital, pela central 158 e pelo portal de serviços do governo federal.

O aplicativo já registrou um aumento de 104,9% na quantidade de acesso durante o período da pandemia, isso fez com que o benefício alcançasse 19,44 milhões de acessos mensais, de acordo com o Dataprev.

Caso o trabalhador prefira realizar o pedido da forma tradicional, é recomendável checar se a agência de trabalho mais próxima da sua residência já voltou a funcionar.

Isso, pois o decreto 10.329 de 28 de abril de 2020, definiu as atividades de processamento do seguro-desemprego como essenciais, o que contribuiu para a retomada do atendimento presencial.

Vale lembrar que o seguro atende os trabalhadores formais que foram demitidos sem justa causa.

O benefício paga de três a cinco parcelas, que variam de R$ 1.045 a R$ 1.813, de acordo com o salário dos empregados. 

O primeiro pagamento costuma acontecer entre 31 e 60 dias depois da solicitação. Depois disso, as parcelas são liberadas a cada 30 dias.   

COMENTÁRIOS

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.