Durante este período de crise com o Covid-19, diversas ações estão sendo tomadas para tentar preservar a vida dos brasileiros. Entre elas, o fechamento de comércio, shoppings e medidas de restrição de circulação para tentar barrar a propagação do vírus, o que é chamado de lockdown.
Rio de Janeiro pode ter lockdown estendido por 2 anos (Reprodução/Internet)
Rio de Janeiro pode ter lockdown estendido por 2 anos (Reprodução/Internet)
publicidade
Neste sentido, medidas implementadas por estados ainda estão sendo gradativamente restabelecidas, inclusive nas localidades que já tem questões mais flexíveis o cenário de restrições ainda é evidente, como no Sul do país.
As ações são para tentar não configurar um colapso no sistema de saúde das localidades. No Rio de Janeiro, por exemplo, as restrições estão cada vez mais rígidas.
Em levantamento feito pelos pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foi detalhado que no estado deverá ser adotada uma espécie de lockdown intermitente durante dois anos.
Atualmente, o estado confirmou 227 mortes pela doença no período de 24 horas, um recorde. Ao todo, já são mais de 3.080 mortes. Para tentar oferecer auxílio a este público que ainda está ficando doente, será necessário continuar com as medidas.
Em tempo, especialistas detalham que o estado deve está preparado para enfrentar as mais variações da pandemia. O lockdown já acontece em cidades do Rio de Janeiro, Pará, Tocantins, Amapá, Roraima, Paraná e Pernambuco.
Ainda durante a entrevista, este período de dois anos é o equivalente a uma nova resinificação da atuação de alguns setores. Medidas devem incluir a reabertura gradativa, mas seguindo critérios bem definidos.
Caso não sejam adotadas as medidas, o documento enviado pela Fiocruz pontua que pode provocar um período prolongado de escassez de leitos e insumos, com isto poderá ocorrer um número expressivo de mortes.
Já no epicentro da doença no país, o estado de São Paulo, as medidas para a adoção do bloqueio total, o lockdown, ainda estão sendo analisadas tanto pela gestão estadual quanto pelo Ministério Público.
Mesmo como endurecimento das medidas de isolamento propostas, a expectativa de reabertura do comércio, escolas, volta de shows, cinemas e tudo o que possa aglomerar pessoas, ainda não existe.
COMENTÁRIOS

Juan Gouveia, formado em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É redator do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, direitos trabalhistas e finanças diariamente.