Nesta sexta-feira (22), a Receita Federal deve abrir a consulta do primeiro lote de restituição do IRPF 2020. O pagamento será realizado no dia 29 de maio, na conta informada pelos beneficiários no preenchimento da declaração.

Receita deve abrir consulta à restituição do IRPF 2020 nesta sexta-feira
Receita deve abrir consulta à restituição do IRPF 2020 nesta sexta-feira (Foto:FDR)
publicidade

Apesar da data ainda não ter sido confirmada pelo órgão, normalmente a Receita costuma liberar essa consulta uma semana antes do pagamento. Por isso, a expectativa é que o processo aconteça no dia 22 de maio. 

Neste ano, a Receita reduziu o número de lotes de restituição que passou de 7 para 5, com isso os contribuintes serão restituídos com mais rapidez. 

Antes, os lotes começavam a ser pagos no mês de junho e eram finalizados em dezembro. Agora, a restituição do IRPF 2020 foi antecipada para maio e será um lote por mês até setembro. Veja o calendário:

  • 1º lote: 29 de maio 
  • 2º lote: 30 de junho 
  • 3º lote: 31 de julho 
  • 4º lote: 31 de agosto 
  • 5º lote: 30 de setembro

Neste primeiro lote, por lei, o dinheiro é pago prioritariamente para os idosos a partir de 60 anos, pessoas com deficiência e professores, que têm o magistério como sua maior fonte de renda.

Além disso, são incluídos os contribuintes que enviaram a declaração logo nos primeiros dias.

Para saber se irá receber, será preciso fazer a consulta no site da Receita Federal, no aplicativo Pessoa Física, ou pelo ReceitaFone ligando 146.

O valor pago para o contribuinte sofre correção de acordo com a taxa básica de juros, ou seja, a Selic. Porém, após cair na conta o dinheiro não sofrerá mais nenhuma atualização.

O valor fica disponível pelo período de um ano, caso não seja realizada a retirada nesse período o contribuinte deve fazer um novo pedido de pagamento por meio do formulário eletrônico no site da Receita. 

Vale lembrar que o prazo final para o envio da declaração é até o dia 30 de junho, o período foi adiado por conta da pandemia causada pelo coronavírus.

O formulário e o envio da declaração serão realizados por meio do Programa Gerador da Declaração (PGD), relativo ao exercício de 2020.

No programa o contribuinte vai preencher todas as suas informações, mas preste atenção, pois uma informação incorreta pode fazer com que você caia na malha fina.

E isso pode fazer com que tenha que fazer correções em sua declaração e atrasar mais o recebimento da restituição, se tiver direito.

COMENTÁRIOS

Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.