Neon diminuí cobrança de juros e traz novidades para conter a crise

Mais medidas para auxiliar os empreendedores durante o período de crise. Nessa semana, o banco Neon informou que está reduzindo suas taxas de juros e ampliando o parcelamento das faturas de cartões de crédito dos seus clientes. De acordo com a marca, a ação tem como finalidade facilitar a vida dos MEIs durante os principais meses do Covid-19. O anunciou foi feito por meio do portal Valor Investe e já está circulando nas plataformas da fintech.

Neon diminuí cobrança de juros e traz novidades para conter a crise (Imagem: Reprodução - Google)
Neon diminuí cobrança de juros e traz novidades para conter a crise (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

Nos próximos meses, os clientes que desejarem parcelar o pagamento de suas faturas terão até 24 vezes com juros de até 5,9%. Até então, a marca cobrava uma taxação de 12,9% e a divisão poderia ser feita por até 12 meses. A medida já está em vigor desde o dia 1 e será aplicada também para o mês de maio.

Leia também: MEI: todos os empreendedores têm direito ao auxílio emergencial? Entenda!

Jean Sigrist, CEO do Neon, relevou que, nos últimos dias, a fintech recebeu inúmeras mensagens dos microempreendedores solicitando oportunidades de crédito. De acordo com ele, os principais questionamentos da categoria estavam relacionados há possibilidade de ter auxílio do poder público, solicitação do INSS, entre outros.

“É um momento difícil para todos, mas os MEIs estão particularmente vulneráveis e ainda não foi elaborada nenhuma política específica para eles”, comenta Sigrist.

Linha de crédito do Neon

Além de modificar a forma de pagamento das faturas, o Neon também está ofertando uma nova linha de crédito pessoal. Os valores variam entre R$ 200 e R$ 15 mil, a depender da renda dos clientes. Já as taxas de juros, estão entre 2,65% e 6,98% ao mês.

Leia também: Posso receber o auxílio emergencial com o Cartão Cidadão? Veja!

“A parceria de MEI Fácil e Neon é super poderosa para garantir que os incentivos governamentais cheguem às mãos das pessoas de forma totalmente digital, sem que seja necessário ir a agências bancárias, casas lotéricas, agências do correio etc. Isso torna o processo muito mais seguro. Não expõe as pessoas a nenhum tipo de risco e está alinhado com a determinação do Ministério da Saúde”, diz Sigrist.

Para as próximas semanas, a marca afirmou que se manterá atenta as demandas do mercado, não dispensando a possibilidade de novas renegociações.

Eduarda AndradeEduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.