Aprovada em novembro de 2019, a reforma da previdência trará novos descontos no pagamento dos trabalhadores que contribuem ao INSS. As quantias irão variar de acordo com o salário recebido por cada um. Aqueles que tiver um maior salário, contarão com uma maior contribuição. Já quem apresentar uma renda menor, terá que repassar menos para o instituto.

publicidade
Reforma da Previdência muda valor de descontos do INSS no seu salário! Veja (Imagem: Reprodução - Google)
Reforma da Previdência muda valor de descontos do INSS no seu salário! Veja (Imagem: Reprodução – Google)
publicidade

De acordo com as novas regras, as alíquotas começarão a ser aplicadas para os dias trabalhados neste mês de fevereiro, que serão liberados no salário de março.

Leia também: Salário do INSS 2020 é liberado com novo reajuste; veja quanto ficou

Até o mês de janeiro, quem trabalhou de carteira assinada tinha uma contribuição que variava entre 8% e 11%, sendo estas:

  • 8% para quem recebe até R$ 1.830,29
  • 9% para quem ganha entre R$ 1.830,30 e R$ 3.050,52
  • 11% para salários entre R$ 3.050,53 e R$ 6.101,06

Com a aplicação das regras da reforma da previdência, a partir de março o reajuste será de:

  • Até um salário mínimo: 7,5%
  • Acima de um salário mínimo até R$ 2.089,60: 9%
  • De R$ 2.089,61 a R$ 3.134,40: 12%
  • De R$ 3.134,41 até o teto (de R$ 6.101,06 , em 2020): 14%
  • O desconto do INSS para quem contribui pelo novo teto, de R$ 6.101,06, é de R$ 671,11.

Tabela de contribuição do INSS depois da reforma da Previdência:

Faixas antigas

Alíquota

Faixas corrigidas

Até um salário mínimo

7,50%

Até R$ 1.045,00

Até R$ 2.000

9%

De R$ 1.045,01 a R$ 2.089,60

De R$ 2.000,01 a R$ 3.000,00

12%

De R$ 2.089,61 a R$ 3.134,40

De R$ 3.000,01 a R$ 5.839,45

14%

De 3.134,41 a 6.101,06 (teto do INSS)

De R$ 5.839,46 a R$ 10.000,00

14,50%

De 6.101,07 a R$ 10.448,00

De R$ 10.000,01 a R$ 20.000,00

16,50%

De 10.448,01 a R$ 20.896,00

De 20.000,01 a R$ 39.000,00

19%

De 20.896,01 a 40.747,20

Acima de R$ 39.000,00

22%

Acima de R$ 40.747,20

Fonte: Secretaria da Previdência/Ministério da Economia

Os contribuintes facultativos, isto é, que são independentes do trabalho com carteira assinada, poderão fazer o pagamento mensal baseado no salário que apresentam. E mais, no quanto desejam receber de aposentadoria, pensando a longo prazo.

Os trabalhadores de empresas privadas e públicas, verão seu salário alterado com o desconto automático no valor bruto. Conforme previu a reforma da Previdência aprovada em 13 de novembro do ano anterior.

Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco e formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguagens. No mercado de trabalho, já passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de ter assessorado marcas nacionais como a Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.