Aposentadoria por tempo de contribuição é alterada; confira novas regras

Aprovada no fim de 2019, a reforma da previdência modificou diversas regras para a aposentadoria dos brasileiros. Entre as modificações, aqueles que desejarem se aposentar a partir do tempo de contribuição precisão ficar atentos, pois agora há novos prazos para a modalidade que já estão em vigor.

Aposentadoria por tempo de contribuição é alterada no país; confira novas regras
Aposentadoria por tempo de contribuição é alterada no país; confira novas regras

A partir deste ano, os homens e mulheres que desejarem dar entrada em suas aposentadorias levando em consideração o período trabalhado ao longo da vida terão que ter ao menos 65 anos (homens) e 62 (mulheres). Além disso, é preciso ter trabalhado entre 20 e 15 anos (respectivamente).

Leia também: Revisão dos benefícios do INSS precisa ser feita logo! Atenção ao prazo

Requisitos para aposentadoria por tempo de contribuição

  • Mulher: 62 (sessenta e dois) anos;
  • Homem: 65 (sessenta e cinco) anos;
  • 15 (quinze) anos de contribuição para quem já está no mercado de trabalho (ambos os sexos);
  • Homens que começarem a contribuir depois da reforma deverão contribuir por 20 (vinte) anos, já as mulheres continuar com 15 (quinze) anos;

Valor do benefício

O cálculo do pagamento da aposentadoria por tempo de contribuição leva em consideração a faixa salarial dos segurados a partir do teto do INSS e do tempo de trabalho cumprido por estes.

O benefício analisa todas as faixas salariais ao longo da contribuição do servidor, desde que essas não ultrapasse o teto do INSS que atualmente é de R$ 6.101,06.

Aquele que cumpre os prazos mínimos de 62 anos (mulher) ou 65 anos (homem) e 15 anos de contribuição tem direito a 60% da média.

Mulheres ganham mais 2% a cada ano trabalhado depois dos 15 anos de contribuição, e homens após os 20 anos de contribuição. Assim, para receber 100%, mulheres terão que contribuir por 35 anos, e homens, por 40 anos.

Sobre a Reforma da Previdência

Promulgada no ano passado, a PEC representou o maior projeto realizado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, até então. Seu texto passou por diversas modificações, tendo sua versão final validada no dia 13 de novembro.

Entre as mudanças, há a alteração da reforma dos militares, modificações nos valores recebidos pelos aposentados e pensionistas, aumento do tempo de trabalho por categoria, e mais.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.