Força tarefa do INSS vai ganhar mais um reforço autorizado pelo governo

Mais servidores atuando na força tarefa do INSS. O governo federal anunciou, por meio de uma publicação no Diário Oficial da União, que emprestará 49 funcionários da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), para ajudarem na liberação dos mais de 2 milhões de benefícios acumulados.

Força tarefa do INSS vai ganhar mais um reforço autorizado pelo governo
Força tarefa do INSS vai ganhar mais um reforço autorizado pelo governo

Segundo o poder público, a ideia é que com mais profissionais especializados no funcionamento da previdência, o serviço seja otimizado e consiga andar mais rápido.

Saiba tambémContenção de crise do INSS é criticada entre os funcionários da Previdência

A equipe da Dataprev ficará no INSS até o período de regularização da fila e depois voltarão para seus cargos de origem.

Reforço militar na força tarefa do INSS

Além dos servidores, foi anunciada também a contratação de 7 mil militares reservistas para compor a força-tarefa do INSS. Estes começarão a trabalhar a partir de abril e ficarão responsáveis pelos serviços de atendimento aos beneficiários nos guichês da instituição.

Para poderem realizar tais operações, os reservistas passarão por um treinamento com a equipe interna do INSS e deverão se familiarizar com as etapas de funcionamento das demandas.

Os salários dos oficiais irão variar, podendo chegar até R$ 13 mil, o que vem causando insatisfação nos servidores do INSS que possuem pagamento inferiores. Quanto a este grupo, eles serão afastados dos guichês para trabalharem na análise dos benefícios.

A expectativa é que até setembro a situação seja previamente normalizada. Entretanto, o governo já anunciou que não será possível zerar o número de benefícios em espera, já que, por mês, são enviadas mais de um milhão de solicitações.

Motivos dá crise na Previdência

A situação está acontecendo desde o fim de 2019, com a aprovação da reforma da previdência. Ao ser promulgada, no dia 13 de novembro, a PEC modificou as regras para liberação dos benefícios e estas mesmas ainda não foram atualizadas nos sistemas do INSS.

Além disso, há também um atraso do relatório gerado pela Dataprev que informa os dados dos cadastrados. O serviço vem sendo realizado desde 2018 e até então não foi encerrado, atrasando ainda mais as análises individuais dos aposentados e pensionistas.

É válido relembrar que, conforme estipula a lei, o prazo para a liberação de um benefício deve ser de até 45 dias. Entretanto, este foi ultrapassado e já registrou a marca de 120 dias em suspensão.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Força tarefa do INSS vai ganhar mais um reforço autorizado pelo governo

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA