ANÚNCIO

Novas regras estão sendo válidas para transações financeiras correspondente ao cheque especial no Banco Santander, quinta maior instituição financeira do país em ativos totais. De acordo com a empresa, a cobrança de tarifa para este método será de 0,25% sobre o valor do limite do cheque especial que exceder R$ 500.

Banco Santander se posiciona sobre tarifas e confunde clientes
Banco Santander se posiciona sobre tarifas e confunde clientes
ANÚNCIO

Esta faz parte de um pacote de regras autorizadas pelo Banco Central. E a existência da cobrança foi liberada como compensação ao teto de 8% do juro mensal da modalidade de crédito.

Leia também: Novas regras do cheque especial começam a valer a partir desta semana

A estranheza foi que o banco Santander é um dos únicos grandes que aderiu a cobrança. Bradesco, Itaú, Caixa Econômica e Banco do Brasil preferiram não adotar, pelo menos por enquanto, a tarifa proposta pelo Banco Central.

No entanto, a rede é a única que oferece a possibilidade dos clientes utilizarem o benefício do cheque especial e não pagarem juros, caso não depositem de volta o dinheiro na conta corrente, em até 10 dias.

A empresa pontua que não haverá mudanças no que se diz a respeito da tarifa já que ela incide sobre o limite e não sobre o uso do crédito.

Em nota enviada ao site InfoMoney, o Banco Santander detalha que as regras passam a valer a partir do dia 6 de janeiro. O serviço, conhecido como Santander Master, terá a taxa reduzida para até 8% ao mês. Mas esta alteração apenas é válida para clientes pessoa física.

“O benefício de dez dias sem juros para o uso do limite de conta corrente será mantido, de acordo com o relacionamento do cliente com o Banco. Em conformidade com a regulamentação, sobre os novos contratos de cheque especial incidirá tarifa mensal de 0,25% do valor do limite de crédito que exceder R$ 500”, conclui

Com a tarifa as dúvidas sobre a sua aplicação são diversas. Mas, de certa forma polêmica, a taxa incide sobre um serviço não utilizado e cujo limite é modificado automaticamente.

Quem possui até R$ 500 disponíveis no especial está isento da cobrança. De acordo com o Banco Central (BC), cerca de 19 milhões de usuários do cheque especial possuem menos de R$ 500 de limite, dentro de um universo de 80 milhões de clientes.

Juan Gouveia, formado em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). É redator do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular, direitos trabalhistas e finanças diariamente.